O Dia em que Os Beatles Subiram no Telhado – Cabine Cultural
Música

O Dia em que Os Beatles Subiram no Telhado

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Apresentação histórica dos Beatles em 30 de Janeiro de 1969

O Dia em que Os Beatles Subiram no Telhado.

O clima não era dos melhores. Não apenas pelo céu cinzento e vento frio mas sobretudo pelo ambiente interno no grupo. Mesmo assim resolveram levar adiante aquela ideia de exibição pública inusitada. A atmosfera pesada que pairava sobre o céu de Londres além de evidenciar que era inverno, não deixou de ser uma metáfora aplicável ao que vivenciava a banda.  Os desencontros e discussões deixaram de ser pontuais para cada vez mais intensamente corroer os laços invisíveis, etéreos e musicais que os unia. Naquele período gravavam um documentário que acompanhava os ensaios e que buscava capturar de que forma a mágica entre eles era construída. Mas não foi isso que ficou evidente, as fissuras daquele prédio se abriram e o que era hematoma virou fratura exposta. As lentes registraram também momentos musicais felizes, é claro, afinal aquela banda original e genial não se mantivera no topo ao longo dos anos por acaso. No início o todo era maior que a soma das partes, havia uma combinação entre as forças que potencializava o resultado final. De sua trajetória inicial de busca de lugar ao sol, em que reproduziam composições alheias até a afirmação de uma identidade própria e a construção de um consistente repertório musical chegavam a um momento em que a soma das partes eram menor que o resultado final. Talvez os egos tenham aumentado tanto que não havia mais espaço para acomodar os quatro juntos. Só mesmo a área externa para que pudessem psicologicamente conviver e respirar mais livremente. Tipo um telhado de um prédio.

No alto do edifício sede da Apple Records

Foi no dia 30 de janeiro de 1969, uma quinta-feira, em pleno horário do almoço. As pessoas que circulavam pelas imediações do número 3 da Saville Row começaram a ouvir acordes soltos no ar ganhando sentido e se transformando em canções. Da surpresa foi nascendo a curiosidade e os olhares antes lançados a esmo foram se organizando para o local de origem dos sons. No telhado os quatro, protegidos do frio por casacos emprestados de suas esposas, se fizeram acompanhar por um veterano tecladista e ao longo de quarenta e dois minutos reviveram um pouco a simbiose artística que fizera deles uma banda tão admirada e respeitada. O público que majoritariamente os acompanhou mais ouviu do que viu. Alguns escriturários e outros trabalhadores de escritórios acompanharam em telhados vizinhos. A polícia apareceu e acabou com o show. Tudo registrado pelas câmeras que recolhiam material para o documentário.

Beatles

Pouco mais de um ano depois o grupo se desfez. Nada muito surpreendente, pois os interesses já estavam mais particularizados há algum tempo. A banda era redundantemente falando, uma parte do que estavam fazendo em suas atividades, ela passara de eixo a desleixo em suas vidas. Também de certa forma o final melancólico foi desidratado pelas constantes desavenças, públicas e notórias. Para mim de certa forma no momento em que eles subiram no telhado indiretamente estavam, como na velha anedota, sinalizando que o fim estava próximo.

Josival Nunes é escritor, cineasta e colaborador do Cabine Cultural

[fbshare url=”http://cabinecultural.com/2013/01/30/o-dia-em-que-os-beatles-subiram-no-telhado/” type=”button”]

[twitter url=”http://cabinecultural.com/2013/01/30/o-dia-em-que-os-beatles-subiram-no-telhado/” style=”horizontal” float=”left”]

[google_plusone href=”http://cabinecultural.com/2013/01/30/o-dia-em-que-os-beatles-subiram-no-telhado/” size=”standard” annotation=”none” language=”English (UK)”]


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta