A Hora Mais Escura | Cabine Cultural
Críticas

A Hora Mais Escura

A Hora Mais Escura

A Hora Mais Escura

Os ataques terroristas sofridos pelos Estados Unidos em 11 de setembro de 2001 marcaram uma nova época na conjuntura política mundial e iniciaram um período caracterizado pelo constante medo e paranoia do povo americano em relação ao inimigo, mesmo que num primeiro momento não se soubesse ainda com certeza quem seria este inimigo.

Mas quando o então líder da Al Qaeda, Osama Bin Laden, afirmou que aquele ato era uma obra genuinamente sua, os Estados Unidos passaram a se focar em único e exclusivo alvo, e a sua captura (obsessão americana) foi consequência de uma década marcada pela nova roupagem dada pelo governo americano para a ideia de direitos humanos. Tudo passou a ser vigiado, todos eram possíveis suspeitos e o mundo viveu anos de instabilidade nunca antes vistos na América do Norte.

Leia também:  Crítica A Lei da Noite: Ben Affleck estrela um filme esquecível

Assim nasceu A Hora Mais Escura – filme sobre a captura e morte de Osama Bin Laden – que traz Maya (Jessica Chastain) como uma agente da CIA que está por trás dos principais esforços em capturar Laden, por ela ter descoberto os interlocutores do líder do grupo terrorista. Ela então é levada a participar da operação que levou militares americanos a invadir o território paquistanês, com o objetivo de capturar e matar Bin Laden.

A Hora Mais Escura

A Hora Mais Escura

A narrativa desenvolvida pelo filme é apresentada de um modo um tanto frio, gélido até, com uma atmosfera acinzentada, talvez para justamente compor um cenário que por toda esta época se mostrava inseguro. Este é provavelmente o grande problema e ao mesmo tempo o grande trunfo do filme. Enquanto ele perde bastante por não ser mais passional, intenso e sensível, ele ganha por representar justamente o momento que envolveu a captura do terrorista.

Leia também:  Intrínseca lança no país “Como Combater a Fúria de um Dragão”

Sem muitos destaques, merece menção aqui a atuação de Jessica Chastain, uma atriz que vem crescendo muito no mercado americano e se mostrou muito bem conduzida no papel da agente da CIA. Ela cresce bastante durante a história.

A Hora Mais Escura é dirigido pela cineasta Kathryn Bigelow e foi indicado ao Oscar em cinco categorias, entre eles de melhor roteiro, melhor fotografia  e melhor atriz, pelo papel de Jessica Chastain.


Deixe uma resposta