Mostra Claire Denis em Salvador – Cabine Cultural
Agenda

Mostra Claire Denis em Salvador

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Desejo e obsessão

Com mais de vinte anos de carreira, a cineasta Claire Denis é um nome consolidado na moderna filmografia francesa. Assinando a direção de curtas-metragens, documentários e ficções, Denis destacou-se por sua linguagem altamente inovadora, trabalhando temas como a identidade cultural, o desejo e o estranhamento diante do outro. Para o público de Salvador, é um verdadeiro privilégio poder acompanhar, de maneira inédita, os principais filmes da realizadora. A Mostra Claire Denis acontece na Sala Walter da Silveira e tem o apoio da Cinemateca da Embaixada da França no Rio de Janeiro e IF Cinéma. A entrada é franca.

Programação
Dia 5/07
16h30  e 19h
35 doses de rum
(35 Rhums, França / Alemanha, 2008)
Um drama familiar terno e sutil sobre a estreita relação entre Lionel, um viúvo parisiense, e Josephine, sua filha universitária, em meio às preparações para a iminente partida da garota. Sua familiaridade dispensa palavras. Seu grupo de amigos e vizinhos incluem Gabrielle, uma taxista perdidamente apaixonada por Lionel, e Noé, um charmoso bronco que se interessa por Josephine. O fabuloso elenco traz uma atmosfera sutil e íntima a esta delicada celebração do amor. A inspiração para o roteiro veio da relação da mãe de Claire Denis com seu pai brasileiro e o filme é uma homenagem ao diretor japonês Yasujiro Ozu.

Dia 06/07
16h30 e 19h
Bom Trabalho (Beau Travail, França, 1999)
Uma livre adaptação de “Billy Budd”, de Herman Melville, que se passa em um posto da Legião Estrangeira Francesa no leste da África. O sargento Galoup era o responsável pelo treinamento de uma unidade de jovens legionários, e tudo corria bem até a chegada de um novo recruta, Sentain. Dando demonstração de coragem e humanidade, Sentain logo ganha o respeito de seus colegas, além de elogios do comandante Forestier. Tomado de inveja, Galoup torna-se inimigo de Sentain e faz de tudo para desacreditá-lo. Uma coreografia de corpos esculpidos em treino e em luta – corpos estrangeiros na paisagem deserta da África.

Dia 08/07
16h30 e 19h
O Intruso  (L’intrus, FRA, 2004)
Louis Trebor, um homem próximo dos 70 anos, vive sozinho com seus cachorros em uma floresta perto da fronteira entre a França e a Suíça. Ele possui problemas no coração e busca um transplante.  Também deseja encontrar o filho que foi embora para o Tahiti anos antes. À noite, ele sonha com situações violentas, até que deixa a cama para matar um intruso.

Dia 9 de julho
16h30 e 19h

Desejo e obsessão (Trouble Every Day, França / Alemanha / Japão | 2001)
Um casal americano viaja a Paris para sua lua-de-mel: o cientista Shane e June. Shane procura secretamente o pesquisador Dr. Léo Semeneau, com o qual ele havia trabalhado e cujos experimentos nada ortodoxos parecem ter levado à terrível aflição que acomete Coré, a esposa de Semeneau, e o próprio Shane: uma urgência incontrolável de devorar os objetos de seus desejos. Beijos e mordidas, luxúria e dor, sexo e violência. Um desejo fatal que, durante o sexo, se transmuta em vampirismo e canibalismo. Um filme sobre o desejo e a morte que literalmente se esconde sob a pele.

Cartaz da Mostra

Dia 10/07
16h30
Do Lado de Mathilde
(Vers Mathilde, França, 2004)
O filme é um encontro silencioso entre duas mulheres que criam. Claire Denis, cineasta, filma de muito perto os corpos e sua linguagem. Mathilde Monnier, coreógrafa, busca através do movimento, além da forma dançada, os territórios que abrem para a vida. Seu encontro testemunha de uma colaboração intensa e íntima, e do desejo de Claire Denis de questionar sempre o gesto como mistério. “Eu quis entender o que se passa quando o corpo se põe a trabalhar; tentar captar o trabalho no momento de sua realização“.* Competição Internacional no FID Marseille em 2005.

Dia 11/07
16h30
Noites sem dormir
(J’Ai Pas Sommeil, França / Alemanha / Suíça | 1994)
Baseado em um famoso crime francês, em que vinte mulheres idosas foram assassinadas por dois matadores, “Noites sem Dormir” é um retrato assombroso da marginalização e do estranhamento, centrado nas figuras de três imigrantes. Daiga é lituana e está em busca de trabalho no teatro; Theo é músico e carpinteiro e está desesperado para voltar para casa, nas Ilhas Maurício; Camille, o irmão de Theo, é um travesti, que junto com seu companheiro, pratica assassinatos. Os assassinatos não são mostrados de forma sensacionalista, mas de modo sutil e ordinário. O mal, no mundo de Claire Denis, faz parte de nossas vidas cotidianas, o que torna o comportamento violento das personagens ainda mais assustador.

19h
Dane-se a morte (S’En Fout La Mort, França | 1990)
Dah e Jocelyn são imigrantes na França. Ardennes, o proprietário de uma casa noturna, os contrata para treinar galos para rinhas ilegais. Enjaulada com os personagens em ambientes subterrâneos sombrios, a câmera captura os rituais de delicadeza e agressão que fazem parte do condicionamento das aves, bem como a dança igualmente nervosa que se estabelece entre Jocelyn, Ardennes e sua bela esposa. Denis não hesita em retratar a brutalidade tanto dos galos quanto de seus donos. “Homens, galos: dá no mesmo”, afirma Dah; para ambos, a vida é uma luta que só pode terminar de um único modo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta