Especial Joss Stone: biografia, entrevista e show em Salvador | Cabine Cultural
Música

Especial Joss Stone: biografia, entrevista e show em Salvador

Joss Stone

Joss Stone

Quem é fã de boa música já pode se preparar para um grande show internacional em Salvador. Isso porque o Banco do Brasil confirmou Joss Stone em uma apresentação rara e única na cidade e a data já está marcada para o dia 31 de agosto, no Wet’n Wild. O valor dos ingressos custa R$112 (uma inteira na pré-venda) e R$160 e R$80 (na venda regular). Para celebrar o fato, preparamos um especial sobre a cantora. Confira!

Biografia
Joss Stone nasceu em Dover, Kent, Inglaterra e passou a sua adolescência na vila de Ashill, Devon. Cresceu escutando uma grande variedade de gêneros musicais, incluindo R&B e soul music cantados por artistas como Dusty Springfield e Aretha Franklin. Viciei-me em soul music principalmente por causa dos vocais que exigia. Tem que se ter boa voz para cantar música soul e eu sempre gostei disso, desde pequena, contou à MTV News.

Em 2002, saiu da Inglaterra para uma audição em Nova York com Steve Greenberg, o chefe do setor executivo da S-Curve Records. Ela também assinou um contrato global com a BMG Music Publishing no Reino Unido. Desde então, ela se apresentou com artistas como Blondie e Gladys Knight. Foi nomeada a porta-voz da varejista Gap, embora, segundo consta, tenha sido despedida por causa de boatos que afirmavam que ela vivia com Beau Dozier (filho do produtor Lamont Dozier), então com vinte e cinco anos, enquanto ela tinha apenas dezessete.

Após assinar um contrato com a S-Curve, Stone foi para Miami (Flórida) para começar a trabalhar no seu primeiro álbum, The Soul Sessions (As Sessões de Soul), lançado a 16 de Setembro de 2003. Colaborou com artistas de credenciais sólidas na cena soul de Miami como: Betty Wright, Benny Latimore, Timmy Thomas e Little Beaver. Também trabalhou com os artistas contemporâneos Angie Stone e The Roots. O álbum consiste em covers de soul music pouco conhecidas de Wright, Franklin, Laura Lee e Bettye Swann. Lançado no final de 2003, alcançou o top cinco da parada de álbuns britânica e o top quarenta da Billboard 200, a parada de álbuns estadunidense. O primeiro single, Fell in Love with a Boy, uma regravação da música Fell in Love with a Girl do The White Stripes, alcançou o top vinte da parada de singles britânica. O segundo single, Super Duper Love, também alcançou o top vinte.

Joss Stone

Joss Stone

Após conseguir aclamação crítica por The Soul Sessions, Stone gravou seu segundo álbum, Mind, Body & Soul (Mente, Corpo & Alma), lançado em 28 de Setembro de 2004, dessa vez composto de músicas originais. Ele provou ser um sucesso ainda maior que seu antecessor, já que estreou em primeiro lugar na parada de álbuns britânica (quebrando o recorde de cantora mais jovem a chegar ao topo da parada britânica, antes pertencente a Avril Lavigne), porém não conseguiu entrar no top dez da Billboard 200, onde chegou ao número onze.

O primeiro single, You Had Me, tornou-se seu primeiro sucesso a entrar no top dez do Reino Unido. Seus procedentes Right to Be Wrong e Spoiled alcançaram o top quarenta e Dont Cha Wanna Ride, o top vinte. Spoiled também conseguiu chegar ao número cinquenta e quatro na parada de R&B/hip-hop dos Estados Unidos. O terceiro álbum de Stone, Introducing Joss Stone (Apresentando Joss Stone) está previsto para ser lançado em 6 de Março de 2007, incluindo produção por Raphael Saadiq e colaborações com Lauryn Hill e Common. O primeiro single será Tell Me Bout It.

Entrevista
Esta entrevista foi transmitida em 19 de junho de 2013 pela BBC Radio 2 Leia abaixo algumas declarações da entrevista:

A vida calma de Joss Stone
Judi questiona se Joss consegue fazer suas atividades normais onde mora ou pelas redondezas de Exeter, e ela responde: “Sim, consigo! Essa é a beleza daqui: Posso fazer minha música, fazer o trabalho que amo, ter essas coisas maravilhosas acontecendo (cantar com grandes pessoas) e posso caminhar pelas ruas. Acho isso realmente especial! Não quero ser privada de viver minha vida pois amo a minha vida tanto quanto amo minha música. É legal que posso fazer compras depois dessa entrevista e ninguém vai me parar, todo mundo é de boa.”.

Joss Stone

Joss Stone

Aretha Franklin
“Eu dei uma música para ela. Oh Deus, foi uma história terrível! Ela é a rainha e certamente sabe disso, e eu realmente não tenho medo de ninguém com exceção da Aretha (risos). Fico imaginando, ‘Ai, meu Deus! Vou falar coisa errada!’

Ela soa com uma energia imensa, é bem poderosa e você sente isso obviamente em sua voz. Bom, escrevi essa música […] e eu enviei para a Aretha e ela me ligou e disse: ‘ouvi a música e sim, vou cantá-la.’ E eu respondi, ‘Ok, obrigada Aretha’, e ela, ‘Senhora Franklin’ e eu ‘OH! OK, senhora Franklin’ (Eu com meus 18 anos). Ela disse que iria falar com o agente dela e blá, blá, blá. Resumo da história: Ele não tentou falar comigo. Então pensei, ‘OK’.

Este cara, parado entre eu e a Aretha cantando juntas, sim, ele ouviu, mas não retornou nada. Então eu nunca consegui, mas ela disse que gostou! É isso que importa para mim: Vou seguir a vida pensando ‘No final ela gostou da minha música’”

Turnês
“Minha decisão é não fazer mais turnê na Inglaterra. Posso fazer um show de vez em quando, fazer um show maior e fazer um show na minha mãe (Estou tentando fazer shows mensais no Mama*, apenas para manter a música rolando e trazer pessoas para colaborar como Nitin Sawhney…). Mas não acho que eu vá fazer uma turnê de verdade, como tocar em todos os festivais. E não quero fazer pois acho que isso iria arruinar o dia-a-dia da minha vida particular”.

Show mais estranho
“Nunca tinha feito um show tão estranho em toda minha vida! Havia uma fileira de militares. Eles estavam trajados de uma maneira meio assustadora e estavam espremidos como sardinha uns contra os outros. Devia ter quatrocentos ou quinhentos deles, ou algo louco do tipo. Eles estavam enfileirados em frente ao palco e ao redor do publico e começaram a empurrar o público pra fora devagar e eu dizia, “Hello!?”, pois eu era a última apresentação. Imaginei, ‘Acho que eles nunca tiveram um festival de verdade antes, então não sabem o que fazer’.”

UCI OrientCinemas



Deixe uma resposta