Cinema português é destaque no Panorama Coisa de Cinema – Cabine Cultural
Agenda

Cinema português é destaque no Panorama Coisa de Cinema

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Lacrau – Divulgacao

Mergulhando no cinema produzido na Europa, além dos dez filmes alemães programados, o IX Panorama Internacional Coisa de Cinema apresenta também uma mostra de filmes portugueses.

Realizado em parceria com o festival IndieLisboa, o Panorama Português tem como destaque O Barão, vencedor de dois prêmios no Festival de Rotterdam 2011. Inédito em Salvador, o filme  dirigido por Edgar Pêra conduz o espectador de forma hipnótica ao castelo do barão, onde ele se apresenta ora dócil, ora irascível, vivendo um amor aprisionado. Lançado em 2011, o filme foi realizado em preto e branco, reforçando seu ar soturno.

Também em primeira exibição em Salvador, Lacrau, de João Vladimiro, apresenta um mergulho sensorial à procura de uma conexão com o mundo, uma espécie de regresso ao ponto onde o ser humano se perdeu. Lançado este ano, o filme ganhou dois prêmios no último festival IndieLisboa.

Linha Vermelha – Divulgação

Com datas e horários em definição, a mostra apresenta ainda Balaou, de Gonçalo Tocha, onde um homem lidando com perdas aceita um convite para cruzar o Atlântico em uma embarcação. Completando a lista de longas, Linha Vermelha, de José Filipe Costa, revisita o filme produzido em 1975 por Thomas Harlan durante a ocupação da herdade da Torre Bela. Ambos premiados no IndieLisboa.

A programação inclui também cinco curtas-metragens de além-mar, começando com Ruínas, de Manuel Mozos, premiado no Festival Internacional de Documentário do Festival de Marselha e no IndieLisboa. O filme lança um olhar poético sobre lugares, hoje abandonados, que compõem a história de Portugal. Na sequência, Barba, de Paulo Abreu, utiliza pessimismo e humor para mostrar que o homem é um ser que permanece igual a si próprio, independentemente das mudanças que gera no mundo.

O Barão – Divulgação

Em Incêndio, uma coprodução Brasil/Portugal, Karen Akerman e Miguel Seabra Lopes costuram com música clássica uma trama onde três alunos submetidos a uma disciplina rigorosa mostram que a melhor aula termina com uma lição. Já Mupepy Munatim, de Pedro Peralta, apresenta um homem em regresso para casa, elaborando um luto e sentido-se estrangeiro no seu local de origem. Encerrando a programação, Quatro horas descalço, de Ico Costa mostra um homem que comete um crime numa pequena aldeia e vai andando se entregar à polícia. O filme foi premiado no IndieLisboa e na Mostra Internacional de São Paulo.

O IX Panorama Internacional Coisa de Cinema acontece entre os dias 31 de outubro e 07 de novembro, em Salvador e Cachoeira.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta