O melhor do cinema nacional no IX Panorama – Cabine Cultural
Agenda

O melhor do cinema nacional no IX Panorama

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Em Busca de Um Lugar Comum

Produções recentes do cinema brasileiro, na maioria inéditas na Bahia, marcam presença no IX Panorama Internacional Coisa de Cinema, com dez longas e cinco curtas-metragens divididos em sessões realizadas em Salvador e Cachoeira. Na programação de longas um dos destaques é Eles voltam, de Marcelo Lordello, que dividiu a premiação de melhor longa do 45º Festival de Brasília com Era uma vez eu, Verônica, foi contemplado no IndieLisboa e exibido no festival de Rotterdam.

A trama gira em torno de Cris, 12 anos, e seu irmão mais velho, meninos que são deixados na beira da estrada por seus pais. Em pouco tempo percebem que o castigo torna-se um desafio ainda maior do que esperavam, então Cris decide por uma longa jornada de volta ao lar.  A sessão acontece dia 05 de novembro, às 15h45, no Espaço Itaú de Cinema – Glauber Rocha e será seguida de conversa com o diretor.

Exibido em Cannes e premiado nos festivais de Paulínia e Lima (Peru), o longa Trabalhar Cansa, de Juliana Rojas e Marco Dutra, é o único representante do Panorama Brasil a ser exibido em Cachoeira (Centro de Artes, Humanidades e Letras da UFRB), com sessão dia 06 de novembro, às 16h, com debate com Juliana. O filme traz uma jovem dona-de-casa que, realizando um sonho, resolve abrir seu primeiro empreendimento: um minimercado. Ela contrata uma empregada doméstica para cuidar da casa e da sua filha, mas seu marido perde o emprego e as relações pessoais e de trabalho entre os três sofrem uma inversão inesperada.

Exercicio do Caos

Voltando ao Espaço Itaú de Cinema – Glauber Rocha, a sequência apresenta o longa baiano: Breviário do Horror, de Fábio Rocha. Com sessão dia 01/11, às 17h10, a produção lança um olhar sobre a violência que explode nos grandes centros urbanos, como resultado da assunção da cultura do ódio. O filme será acompanhado de dois curtas realizados na Bahia: Da alegria, do mar e de outras coisas, de Ceci Alves, e Via Crisis, de Leon Sampaio.

No dia seguinte (02/11), o longa Aprender a Ler Pra Ensinar Meus Camaradas, de João Guerra, está na sessão das 16h35. O documentário que acompanha a viagem à Bahia de dois músicos angolanos em busca de vestígios de uma ancestralidade perdida. A exibição será antecedida pelos curtas É proibido menino calçado entrar na escola, de Edson Bastos e Henrique Filho, e Procurando Rita, de Evandro Silva de Freitas.

A mostra ainda Doce Amianto, de Guto Parente e Uirá dos Reis, no qual uma moça isolada em um mundo de fantasia enfrenta o choque entre seu universo interior e a realidade de um mundo que não a aceita.

Da Alegria, do Mar e de Outras Coisas

Abrindo a sequência de filmes que serão exibidos na Sala Walter da Silveira, temos o longa Em Busca de um Lugar Comum, de Felippe Schultz Mussel, que tem como tema a transformação das favelas cariocas em destino turístico. Os morros cariocas também estão no entorno do documentário Cidade de Deus – 10 Anos Depois, filme no qual Cavi Borges e Luciano Vidigal revelam o que aconteceu na vida dos atores (moradores das favelas) de um dosfilmes de maior sucesso no Brasil e exterior Cidade de Deus.

O Exercício do Caos, de Frederico Machado, no qual um pai autoritário vive com três filhas adolescentes em uma fazenda isolada do Maranhão e todos lidam com os ditames de um rigoroso capataz. O eixo familiar desmorona aos poucos, enquanto, fragilizados, eles ficam no limiar entre a razão e a loucura. O desequilíbrio mental também aparece em O Sol nos Meus Olhos, de Flora Dias e Juruna Mallon, que apresenta um homem que encontra a mulher morta e em um surto silencioso toma o corpo dela e parte em uma viagem. O longa será exibido nos dias 02/11, às 15h, e 07/11, às 19h.

Mais informações e programação completa no site www.coisadecinema.com.br/panorama


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta