Praia do Futuro estreia como um dos favoritos ao título de filme nacional do ano
Cinema

Praia do Futuro estreia como um dos favoritos ao título de filme nacional do ano

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Praia do Futuro – Foto de Alexandre Ermel

A união envolvendo, sobretudo, o trabalho do respeitado e cada vez mais conhecido internacionalmente Wagner Moura com a mente criativa de Karim Aïnouz, um dos cineastas mais festejados do cinema brasileiro nos últimos anos (assistam O Céu de Suely) gabaritam Praia do Futuro, filme que estreia esta semana nos cinemas do Brasil, ao posto de grande filme do ano no Brasil. Claro que talvez ainda seja cedo para cravar uma afirmação tão objetiva, mas certamente o filme, ao final de 2014, será lembrado como uma das boas produções nacionais lançadas. Confira agora um especial sobre a grande estreia da semana e já se preparem para o encontro com o bom cinema.

História
A história do filme segue a vida de Donato (Wagner Moura), salva-vidas que trabalha na famosa Praia do Futuro, bairro da cidade de Fortaleza. O mar é sua segunda casa, a ponto de seu irmão menor, Ayrton, o chamar de Aquaman. No entanto, um acontecimento muda por completo a sua vida: certo dia, ao mergulhar para socorrer dois banhistas surpreendidos pela correnteza, Donato resgata Konrad (Clemens Schick), um piloto alemão que faz um circuito de MotoCross pela América latina com amigo Heiko, que desaparece no mar. Enquanto esperam que o corpo de Heiko venha à tona, Korand e Donato se aproximam e experimentam uma atração física, que logo se converte em paixão. Só que o tempo leva Konrad de volta ao seu país natal, fazendo Donato tomar a importante decisão de segui-lo e nunca mais voltar. Ele encontra em Berlim uma nova vida, e aos poucos vai desaparecendo da família. Oito anos depois, um jovem chega a Berlim e procura por Donato, pra saber se ele está vivo ou morto. É o seu irmão Ayrton, agora com 18 anos, precisando entender por que seu irmão herói foi embora sem dizer uma palavra.

Produção
Sobre o trabalho de produzir o filme, Karim Aïnouz falou na entrevista oficial do projeto,

Depois de três trabalhos centrados em protagonistas femininas – O céu de Suely, a série para a HBO Alice e O Abismo Prateado – quis falar de personagens masculinos”, “Queria falar de personagens que se arriscam mundo afora e que não têm medo de largar tudo para recomeçar a vida”.

Praia do Futuro – Divulgação

Um dos trabalhos mais difíceis deve ter sido o de criar uma peculiar atmosfera que mescla a quente Fortaleza com a gélida Berlim. No filme esta atmosfera foi criada alternando o cenário de cores quentes e saturadas da Praia do Futuro aos tons frios do inverno da cidade de Berlim, numa combinação que promete apresentar toda uma estética ao menos interessante.

Fotografia
A fotografia, parte essencial do filme, ficou sob responsabilidade de Ali Olay Gözkaya, Sobre a escolha, o diretor confessou,

Sempre filmei com câmera na mão e tive preferência pelo improviso. Com Ali houve um planejamento maior, o que foi muito novo pra mim. Acho que o filme tem esses dois focos: em alguns momentos a câmera é mais visceral; em outros, privilegia a construção do espaço pela cinematografa. Foi como se pela primeira vez eu pudesse exercer no cinema minha paixão antiga – A arquitetura”.

Os atores
Grande parte do sucesso que Praia do Futuro teve nos festivais por quais passou se deve ao trio de atores que compõem a espinha dorsal da história. Neste sentido, os aplausos devem ser direcionados também para Karim, responsável pelas escolhas. Ele disse,

Há tempos tinha uma vontade grande de trabalhar com Wagner. Em nossa primeira conversa vi que ele poderia ser Donato. Com ele o filme começou a fazer sentido. Clemens é um ator com uma trajetória muito rica. E ele tem um olho azul, muito azul, que eu imaginava que era um pedaço de mar, onde o Donato pudesse se perder, se afogar, por assim dizer. A câmera pode ficar ali, sem riscos de criar ilusões de profundidade psicológica”.

Praia do Futuro – Divulgação

Já sobre Jesuita Barbosa, ele confessou,

” Quando definimos quem faria Donato e Konrad, temi pelo personagem do irmão. Com esses dois gigantes, a chance de um ator jovem ser eclipsado seria grande. Mas quando vimos o teste de Jesuíta, lá atrás, em 2011, ficou evidente que seria ele. Senti ali uma qualidade semelhante à de Hermila Guedes (atriz de O céu de Suely): uma expressão marcante e ao mesmo tempo misteriosa”.

Heroes
Por fim não poderíamos terminar este especial sem citar um dos elementos mais emblemáticos do projeto: a canção Heroes, de David Bowie. A música, para que não conhece, é uma das obras primas do cantor inglês, sendo tema inclusive de diversos filmes e série, como o polêmico e perturbado Eu, Christianne F, 13 anos, drogada e prostituída, que por coincidência (ou não) também é ambientada na cidade de Berlim.

Karim disse,

Quando comecei a fazer esse filme, lá atrás, acho que tudo começou muito por conta da canção do David Bowie, Heroes. Queria que estivesse no filme, porque ela me inspira, me faz sonhar, imaginar coisas, ela dá vontade de viajar, de se apaixonar. Heroes deu ao filme um tom rock’n’roll com certa melancolia. Além do mais, é uma música emblemática de Berlim, escrita no período em que Bowie viveu na cidade, e que fala do muro e conta uma história de amor, de golfinhos, de aventura e de amor. É uma escolha bastante óbvia para o filme, eu sei, mas não fazia muito sentido imaginar o filme sem ela”.

E que venha a Praia do Futuro.

Confiram agora o super trailer de Praia do Futuro


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta