Especial Chaplin: Tempos Modernos
Cinema

Especial Chaplin: Tempos Modernos

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Annex – Chaplin, Charlie (Modern Times)

Em Tempos Modernos Chaplin expõe as mazelas resultantes de um sistema econômico utilitarista, pragmático e impessoal mostrando o drama que se abatia nas massas populares

Por Josival Nunes

Em Tempos Modernos de 1936 a sátira à sociedade capitalista se dá através da crítica ao capitalismo selvagem representado no filme como uma estrutura absolutamente impessoal que visa apenas o lucro e relega o aspecto social ao segundo plano. Carlitos dessa vez começa o filme trabalhando como um operário que está tão integrado à dinâmica do serviço que acaba com ele se confundindo, tendo um surto que o faz saltar fora da linha de montagem tal qual uma peça com defeito.

Esta cena é mais uma daquelas clássicas do vagabundo com a mistura de gags com graciosidade alcançando o clímax com o estranho e inusitado bailado com engrenagens. Temos também a figura de uma jovem que repentinamente vê-se sem rumo ao perder o pai e logo ela vai encontrar Carlitos formando o par que vai atravessar o filme desafiando as autoridades até terminar o filme de mãos dadas rumo a esperança de um futuro melhor.

Mais do que nunca Charles Chaplin provocou com este filme a ira dos conservadores, as perseguições ficaram mais acirradas e os seus detratores identificaram nele um adepto incontestável do comunismo. Com sua postura progressista e humanista Chaplin acabou angariando um sem número de desafetos que viam nele uma ameaça ao sistema.

Em Tempos Modernos Chaplin expõe as mazelas resultantes de um sistema econômico utilitarista, pragmático e impessoal mostrando o drama que se abatia nas massas populares, perdidas em meio ao caos resultante do desemprego e da falta de perspectivas. O vagabundo une-se á jovem e ambos equilibram-se feito trapezistas, tensos sobre uma corda sobre o mundo que os rejeita e maltrata. Mas a beleza da amizade e do amor são mais fortes e importantes, pois são esses sentimentos que parecem afinal sustentar os seres em sua peregrinação pelo mundo.

Com isso vemos Carlitos preocupado em auxiliar a jovem a se manter não apenas preocupado com a subsistência, mas amparando-a emocionalmente e estimulando o seu crescimento. Charles Chaplin apesar da realidade de filmes falados optou por permanecer com a estética de filme mudo com exceção da cena em que Carlitos tem de improvisar uma canção e canta uma letra sem sentido. Tempos Modernos apesar de haver sido feito há tantos anos permanece atual devido a forte desigualdade social e as permanentes contradições impostas pelos sistemas econômicos.

Tempos Modernos (1936)
Elenco

Charlie Chaplin …. Trabalhador da fábrica / The Tramp
Paulette Goddard …. Gamine / Ellen Peterson
Henry Bergman …. proprietário do motel
Chester Conklin …. mecânico
Stanley J. Sandford (conhecido como Tiny Sandford) …. Big Bill
Hank Mann…. mendigo
Stanley Blystone …. pai da gamine
Al Ernest Garcia …. presidente da Electro Steel Corp. (creditado com Allan Garcia)
Julia Wolder …. irmã da garota orfã
Richard Alexander …. Companheiro de Cela
Cecil Reynolds …. Pastor
Mira McKinney …. Esposa do Pastor
Murdock MacQuarrie …. J. Widdecombe
Edward LeSaint …. Diretor Couler
Fred Malatesta …. Garçom
Wilfred Lucas …. Diretor Júnior

 Josival Nunes é escritor, cineasta e colunista do Cabine Cultural.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta