Suzy Pianista Sexy e a música clássica no Brasil | Cabine Cultural
Notícias

Suzy Pianista Sexy e a música clássica no Brasil

Suzy Pianista Sexy

Pianista voltou a chamar atenção ao gravar hinos de países da Copa e participar do programa Silvio Santos

Em setembro do ano passado divulgamos aqui pela primeira vez uma matéria apresentando o trabalho da ex-professora e pianista catarinense (paulista de nascimento) Rita Tibes, 32 anos, também conhecida como Suzy Pianista ou mais especificamente de Pianista Sexy. Na época, seu trabalho ainda não era tão popular quanto hoje em dia, mas já despertava grande interesse, sobretudo dos seus fãs, na maioria, adolescentes e rapazes interessados na sua beleza e também no seu trabalho. Seu objetivo inicial era bem interessante: divulgar a música erudita no Brasil feita por mulheres, gênero minoritário nesta perspectiva musical. Deu certo, e poucos dias após esta matéria a pianista já era um dos nomes mais falados das internet, seu blog e páginas sociais obtiveram enormes ganhos de público e seu nome estava na boca dos jovens, ainda em maioria formada por homens, mas já com muitas mulheres comentando também.

A Pianista Sexy
Sua primeira estratégia foi bem sucedida: começar a desmistificar o piano como instrumento ligado somente à música clássica. Ela logo de cara tocou canções de Adele e de outras artistas pop, chamando a atenção de quem gosta de cultura pop. Mais tarde, abrangendo ainda mais sua linha de atuação, fez versões de alguns hinos de clubes brasileiros, virando de vez musa da rapaziada futebolística tupiniquim.

+  Intrínseca lança “Não se enrola, não”, 3º livro da série de Isabela Freitas

Sua missão aparentemente continuava a mesma: promover o gênero feminino numa arte que é bastante restrita ao universo masculino. Realmente, no Brasil são pouquíssimas as pianistas que já vi tocar. Ela, dentro desta perspectiva, foi até além, e abraçou algumas causas referentes aos direitos da mulher e levantou a bandeira contra a proibição do topless nas praias cariocas. Ao mesmo tempo em que seu trabalho ficava cada vez mais em evidência, as críticas apareceram, e muitas destas vindo justamente do público feminino. Estas críticas centravam na ideia de que tirar a roupa e vestir a alcunha de Pianista Sexy não era a melhor forma de protestar contra o machismo.

Suzy e as críticas
São bem compreensíveis todas as críticas que a pianista catarinense e ex-professora recebeu. Claro que o uso independente do corpo sempre foi uma das principais armas – e vitórias – que as mulheres alcançaram ao longo da história. Porém o tema, em pleno século 21, ainda rende muitas reflexões e questionamentos, e nem sempre seu uso será visto pelos movimentos feministas como um benefício à causa. Rita Tibes, ao buscar chamar atenção para a falta de mulheres na música erudita brasileira, consegue também – por tabela – se fazer notar somente por ser uma mulher sensual. Esse é um efeito colateral não tão positivo que ela deve saber lidar. E isso pelo simples fato de seu talento ser realmente inquestionável, seus dotes como pianista são tão interessantes quanto seus dotes físicos.

+  Marcelo é mais ousado, mas Dayse merece vencer o MasterChef
Suzy Pianista Sexy – Divulgação

Suzy Pianista, Silvio Santos e Copa do Mundo
Rita Tibes, a Pianista Sexy, voltou a ser manchete de jornais nesta semana por dois motivos bem interessantes: primeiro ela divulgou no último dia 09 de junho uma gravação em que toca os hinos do Brasil, Estados Unidos e França, como uma espécie de boas-vindas aos países que participam da Copa do Mundo. O vídeo, já muito visitado, mostra a pianista do modo que veio ao mundo e que a fez famosa: bela e nua. Ela inclusive afirmou que pretende gravar outros hinos durante a Copa e que até mesmo pleiteia o título de Musa do evento, o que não é nenhum absurdo, cá entre nós.

+  Crítica The Voice Brasil fase das Batalhas: está tudo perfeito, ou quase

Depois a pianista foi convidada especial do apresentador Silvio Santos em seu tradicional programa dominical. Ela voltou a chamar atenção pela sua beleza, pelo seu corpo e também pela sua simpatia e inteligência. Seu talento como pianista, apesar de ser visível, sempre fica em segundo plano.

Suzy Pianista é bela, não há como questionar esta afirmação. Inteligente e talentosa, a instrumentista conseguiu – de uma forma nada tradicional – ser notada enquanto profissional. Porém cabe aqui uma reflexão: até quando esta deveria ser a sua marca? O feminismo, bem como suas estratégias de luta em um mundo machista e tolo, está em constante progresso e muitas vezes ações que hoje são coerentes e progressistas num momento futuro passam a não ser. Rita Tibes é inteligente e provavelmente saberá quando chegar o momento de levar sua bandeira de luta para um novo e ainda mais benéfico estágio. Esperemos.

Rita Tibes toca o hino do Corinthians







3 respostas para “Suzy Pianista Sexy e a música clássica no Brasil”

  1. Não tinha lido esta resenha, muito reflexivo e inteligente. Publiquei na minha fanpage do facebook.
    abraços
    Suzy

Deixe uma resposta