Novela Boogie Oogie estreia trazendo de volta a atmosfera dos anos 70 | Cabine Cultural
Notícias Televisão

Novela Boogie Oogie estreia trazendo de volta a atmosfera dos anos 70

Novela Boogie Oogie

Novela escrita pelo autor moçambiquense Rui Vilhena estreia no horário das 18 horas prometendo uma vibe disco comum na época

A Rede Globo parece realmente ter escolhido a ousadia em seus novos projetos de dramaturgia. Desde Avenida Brasil, passando agora por Império, O Rebu e sobretudo pela inovadora Meu Pedacinho de Chão, que a emissora busca achar um modo único de produzir suas novelas. O resultado, que em termos de audiência ainda deixa um pouco a desejar (para os padrões globais) vem conquistando não somente a crítica especializada como também o espectador mais exigente.

E será neste contexto que a Rede Globo exibe hoje o primeiro episódio da nova novela das 18 horas, chamada de Boogie Oogie. A história conta com a direção geral de Gustavo Fernandez e direção de núcleo de Ricardo Waddington. Já o nome, bem peculiar, faz referência a uma expressão comum na década de 1970, usada tanto em gírias quanto em músicas.

E as músicas terão uma função bem especial na história, já que os anos 70 foi marcado pela febre mundial da disco, aquele gênero musical que fez qualquer ser humano com mais de 50 anos de idade requebrar nas pistas de dança, tal como John Travolta no filme Os Embalos de Sábado a noite, um dos maiores ícones dos anos 70. Na trilha sonora, muitas canções trazem este clima, como Cheryl Lynn, com Got To Be Real, A Taste Of Honey, com Boogie Oogie Oogie, Marvin Gaye, com Lets Get it on e Blondie, com Heart Of Glass. Dentro da história será a boate carioca Boogie Oogie o palco principal de toda esta atmosfera dançante que a novela promete passar.

História
A novela promete uma narrativa bem diferente de sua antecessora, a fantasiosa e belíssima plasticamente Meu Pedacinho de Chão. A ousadia aqui promete ser muito mais pela ambientação temporal, afinal até então não vemos histórias se passarem nesta época, que marcou para muitos o apogeu de criatividade das próprias novelas globais, com autores como Janete Clair (Irmãos Coragem, Selva de Pedra e Pecado Capital).

Alguns personagens devem se destacar inicialmente, como por exemplo, Amaury (Junno Andrade), o dono da boate. Já Alessandra Negrini será Susana, a ex-amante do poderoso empresário Fernando (Marco Ricca), um homem prático, não suporta incompetência e possui um mau humor crônico. Logo no início vemos Susana voltar ao Rio de Janeiro, depois de viver vinte anos em Nova York. Ela deixa o seu emprego no Studio 54 prometendo se vingar, já que no passado Susana acreditou em Fernando, que dizia um dia largar a esposa Carlota (Giulia Gam) para viver com, o que não aconteceu.

Marco Ricca e Alessandra Negrini

Agora ela está de volta com um grande segredo, prestes a ser revelado. No ano de 1956 ela havia contratado a enfermeira Márcia (Christiana Guinle) para trocar dois bebês femininos de lugar, dentro de uma maternidade, por vingança e despeito. Uma dessas crianças é Sandra (Ísis Valverde), filha justamente de Carlota e Fernando. Tenso, não?

Por falar em Sandra, Ísis Valverde volta às novelas depois da mais que bem sucedida participação em Amores Roubados, um de seus melhores trabalhos até aqui, mas que rendeu bastante polêmica por conta da relação com o companheiro de novela, o galã Cauã Reymond. Esta relação estreita, muitos dizem, foi o motivo da separação do ator e de sua então esposa, a atriz Grazi Massafera. Em Boogie Oogie, Sandra é uma hippie com 22 anos (em 1978), e mora no bairro de Copacabana, na zona sul do Rio de Janeiro, e acredita que os seus pais verdadeiros são a dona-de-casa Beatriz (Heloísa Périssé) e o militar Elísio (Daniel Dantas). Desempregada, Sandra luta diariamente para ajudar nas despesas da família. Dona de uma personalidade forte, ela traiu o namorado militar Pedro (José Loreto) com Alex (Fernando Belo), tornando-se noiva do segundo rapaz. Mas algo acontecerá no dia do casamento, que irá mudar a história.

Letícia e Deborah
Outra que deve se destacar é a bela Letícia Spiller, que aparecerá na novela interpretando Gilda, uma mulher mais contida e muito organizada. Ela trabalha na agência de viagens Vip Turismo, e vive um caso de longa data com o chefe, Fernando. Apesar dos anos de romance com a funcionária, o empresário nunca terminou seu casamento com Carlota. Já Deborah Secco interpretará Inês, uma comissária de bordo independente, atualizada e livre. Ela será uma personagem que vive além de sua época, marcada ainda pelo conservadorismo e pelo machismo, onde as mulheres deveriam casar e cuidar do marido e dos filhos somente. Inês certamente será alguém que não suportará esta status quo.

Além destes, a novela apresentará alguns grandes atores, como a super talentosa Sandra Coverlone, que venceu nada menos que o prêmio de atriz no tradicional Festival de Cannes, com o premiado filme Linha de Passe. Além de Sandra, veremos também Betty Faria, Caco Ciocler, o mestre Francisco Cuoco, Laura Cardoso e Zezé Mota. Só por conta deste nomes a novela já merece ao menos uma primeira conferida, não acham?


Uma resposta para “Novela Boogie Oogie estreia trazendo de volta a atmosfera dos anos 70”

  1. cade o cabelo estilo Farrah Fawcett,cade as cocotas( garotas que usavam calças abaixo do quadril, essa novela parece da decada de 60, e não de 70
    a unica coisa que salva são as musicas, calça boca de sino, que coisa cafona até para época.

Deixe uma resposta