Quinta temporada de Rookie Blue termina com saldo positivo | Cabine Cultural
Televisão

Quinta temporada de Rookie Blue termina com saldo positivo

Temporada mais irregular da série conseguiu alternar episódios razoáveis com algumas boas histórias; ainda assim o saldo foi positivo

A série canadense Rookie Blue vem sendo há quase cinco anos um dos grandes destaques da chamada summer season americana, período em que as principais séries estão de férias, então as emissoras buscam projetos dos mais diversos para ao menos preencher a programação. Normalmente as produções duram somente uma temporada, mas sempre há as boas surpresas que se mantém por mais tempo. Rookie Blue é uma dessas, mesmo com suas peculiaridades, já que ela é oficialmente uma produção canadense. A série, protagonizada pela bela Missy Peregrym acaba de ter seu último episódio da quinta temporada exibido, e entre altos e baixos, ela passou na avaliação final com um sete, nota apenas razoável.

Pontos positivos
Falando dos pontos positivos, a quinta temporada retornou com a mesma atmosfera agitada de sempre e não houve nenhuma baixa no grande elenco, o que já é motivo suficiente para comemorar. Dos novos personagens, dois chamam atenção, sendo que o primeiro, o novato Duncan, policial visivelmente bobo, desleixado e que entra na série para dar um novo gás ao trabalho de Andy McNally (Missy Peregrym) teve sua história contada ao longo da temporada, com algumas reviravoltas interessantes e um aparente desfecho. A partir de agora, caso ele continue na sexta temporada da série (já renovada) veremos tão somente mais do mesmo e o ar de novo não existirá mais.

Leia também:  Intrínseca lança poderoso romance “Tudo o que nunca contei”, de Celeste Ng

Entretanto, a personagem que realmente promete deixar a próxima temporada mais interessante é Juliet, interpretada pela linda Erin Karpluk (da ótima Being Erica). Ela participou dos últimos episódios, como o possível futuro relacionamento de Nick Collins, ex-namorado de Andy. Espera-se que ela seja recorrente na série e que avance nesta relação, até mesmo porque Rookie Blue precisa largar de vez este triângulo amoroso vivido por Andy, Swarek e Nick.

Sobre a volta da personagem Marlo, ex-affair de Swarek, espera-se também que não se crie novamente um triângulo amoroso, já que este plote já deu o que tinha que dar. Claro que podemos ter grandes novidades, com a aparente gravidez da personagem, e talvez tenha sido este o motivo de seu retorno à história.

O grande destaque ‘desta’ temporada de Rookie Blue foi o gancho deixado como possível grande tema da próxima temporada. A história (meio clichê) envolvendo a máfia irlandesa e a corrupção policial pode render uma trama bem interessante, e possivelmente a mais ousada da série até aqui, pois envolveria conspirações, traições e os inimigos agora podem estar na própria corporação policial. Os grandes catalisadores deste arco serão Sam Swarek (Ben Bass) e o Comissário todo poderoso que tem grande influência política.

Leia também:  Maior ícone da televisão, Silvio Santos tem biografia lançada pela Matrix Editora

Pontos negativos
Passando para os pontos negativos, temos a história envolvendo o policial Chris Diaz (Travis Milne), que por algum motivo acabou se ausentando de alguns episódios da temporada e talvez por isso a equipe criativa começou, logo nos primeiros episódios, a desenvolver seu arco com as drogas. Diaz, que sempre foi o exemplo de todos se transformou num drogado que não conseguia nem fazer o básico de seu trabalho como policial. Até ai tudo bem, o problema é que os roteiristas esqueceram de desenvolver a história e ao final vimos uma aparente resolução frágil e bem simplista para o seu dito problema. Gail Peck (Charlotte Sullivan) também teve uma história bem irregular e chata, com sua nova condição de homossexual assumida, mas ainda não tão bem resolvida. Mais para o final, com a possibilidade de vê-la adotando uma criança (negra), sua trama deu bons sinais de vida, mas ficará para o próximo ano toda a resolução do processo de adoção.

Leia também:  Intrínseca lança fascinante “Robô Selvagem”, novo livro de Peter Brown

As respectivas relações de Traci Nash (Enuka Okuma) e de Dov Epstein (Gregory Smith) não empolgaram tanto, mas também não comprometeram. A história de Dov e Chloe, que terminaram nos últimos episódios, deve ser retomada na temporada seguinte e provavelmente os dois voltarão a fazer par romântico. Já Oliver Shaw, que foi ‘promovido’ à função de comandante, porém com trabalho que é mais burocrático que tudo, terá somente mais para frente a resolução de sua história, mas ficou claro que ele voltará a ativa.

Saldo
Entre altos e baixos, a quinta temporada de Rookie Blue terminou com um saldo positivo; é sempre bom rever o grupo de rookie (termo que em português significa novato), que não são mais tão rookies assim. A história central envolvendo Andy e o rookie foi interessante, mas não tão empolgante como as histórias de temporadas passadas. Porém, Rookie Blue deixou uma série de possibilidades para 2015, só resta esperar para que os roteiristas desta vez estejam mais inspirados.




Uma resposta para “Quinta temporada de Rookie Blue termina com saldo positivo”

  1. O Oliver na rua era o melhor. Tiraram o humor dele como o chefe. A história da Gail ficou forçada. Achei essa temporada fraca. A Andy voltou muito rápido p o Sam, embora os fãs queiram, mas o que ela fez com o Nick não foi legal. Ficou mal feito.

Deixe uma resposta