O Grande Hotel Budapeste
Cinema

O Grande Hotel Budapeste

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

O Grande Hotel Budapeste

Confira o novo filme do cineasta Wes Anderson, de filmes como Os Excêntricos Tenenbaums, O Fantástico Sr. Raposo, Moonrise Kingdom

Por Marcia Bessa

Quer assistir um filme original, com uma estética perfeita, meio onírico, então entre no O  Grande Hotel Budapeste, direção do genial cineasta Wes Anderson (responsável por filmes como Os Excêntricos Tenenbaums, O Fantástico Sr. Raposo, Moonrise Kingdom, entre outros).

Como se estivesse olhando por um olho mágico em um mundo surreal, em uma Europa que só existe na imaginação deste diretor, super colorido, com cores gritantes, um ambiente brega/clássico, com personagens caricatos, costumes locais bem valorizados, tudo super extravagante e grandioso, eis o clima deste filme.

Nesta comédia dramática os mínimos detalhes são observados, em tempos de outrora, um clima de magia com timing cômico e ritmo bem acelerado. O espectador penetra no Grande Hotel Budapeste com suas aventuras; em certos momentos parece que vai cansar, e eis que de repente tudo se renova em uma contação de histórias sem fim.

Inspirado na obra do escritor austríaco Stefan Zweig (que faleceu em Petrópolis/ RJ), entre várias histórias temos a principal, as aventuras do concierge do Hotel Budapeste, M. Gustave (Ralph Fiennes) e seu dedicado mensageiro Zero (Toni Revolori), em um clima de amizade leal e pitoresca. Quando M. Gustave recebe como herança um quadro valiosíssimo de uma senhora que tinha seus agrados, inicia-se uma verdadeira batalha com os familiares, regada a roubo, brigas, perseguição, assassinato.

O ator  Ralph Fiennes está admirável como o concierge do hotel, merece aplausos pela construção segura de um personagem arcaico e esnobe ao mesmo tempo. O filme ainda conta com um time de atores de primeira, como F. Murray Abraham, Mathieu Amalric, Owen Wilson, Willem Dafoe, Jude Law, Tilda Swinton, Léa Seydoux, Adrien Brody e outros, cada um deixando sua marca registrada em papeis interessantes.

Um mundo fantasioso do leste Europeu nos é apresentado de forma criativa e original, com seus excessos bregas e estilosos, a nostalgia presente no ar, onde o público não se envolve afetivamente com os personagens, mas com um humor peculiar, afetado e cheio de artimanhas. Tudo flui de forma homogênea e rápida, com muita ação e reação, e haja pastelão. Excelência na fotografia, direção, roteiro, figurino e trilha sonora, e o figurino é impagável.

Verdadeira sétima arte com uma trama que prende do início ao fim, vale muito mais que o ingresso do cinema. Venha para o mundo de  Wes Anderson e entre no O Grande Hotel Budapeste, aprecie o local, os visitantes, os empregados, o clima de fantasia no ar, e suas histórias neste projeto perfeito, a todo vapor. E Boa Estadia!!!

Marcia Amado Bessa é enfermeira e escreve para o ótimo blog parceiro CineAmado


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta