118 Dias: Assista ao trailer do novo filme de Gael García Bernal
Cinema

118 Dias: Assista ao trailer do novo filme de Gael García Bernal

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

118 Dias

Filme é baseado no livro best-seller do The New York Times Then They Came for Me:  A Family’s Story of Love, Captivity, and Survival

Um dos filmes mais interessantes do ano está prestes a estrear nos cinemas brasileiros. Trata-se de 118 Dias (Rosewater, EUA, 2014), que estreia nos cinemas no dia 5 de março e que conta a difícil experiência do jornalista iraniano com cidadania canadense Maziar Bahari durante a cobertura das eleições no Irã em 2009. No filme quem tem a responsabilidade de interpretar o jornalista é talentoso ator mexicano Gael García Bernal (No, Cartas para Julieta, Ensaio sobre a Cegueira).

História
O jornalista Bahari, que residia em Londres naquela época, estava esperando seu primeiro filho. Para ajudar no orçamento familiar, ele aceita um trabalho extra para cobrir as eleições de 2009 no Irã (país conturbado política e religiosamente) para a tradicional revista Newsweek e aproveita para visitar sua mãe. No mês de junho, ele desembarca em seu país e em sua cidade natal, poucos dias antes das eleições, disputadas pelo presidente em exercício, Mahmoud Ahmadinejad, e pelo candidato da oposição, Mir-Hossein Mousavi, cuja popularidade estava em franca ascensão.

Nos dias que antecedem as eleições, ele dá uma entrevista em Teerã para o programa americano bastante popular The Daily Show with Jon Stewart, em que são feitas sátiras à situação do país, no estilo tradicional do programa. No dia das eleições, o jornalista decide assumir o enorme risco ao filmar e enviar a reportagem sobre os distúrbios que ocorreram na cidade para a emissora britânica BBC publicar.

Pouco depois, a polícia invade a casa de sua mãe (Shohreh Aghdashloo, de A Instituição), onde ele estava hospedado, e sob argumentos questionáveis leva o jornalista para detenção. Na prisão, ele é submetido à tortura e a incessantes interrogatórios nos longos 118 dias seguintes, conduzidos sempre pelo mesmo homem, que se identificou apenas pelo codinome Rosewater (Kim Bodnia, de Amor é Tudo o que Você Precisa).

Um interessante filme político, que conta a história de um dos acontecimentos mais relevantes das últimas décadas.

Veja o trailer


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta