Veja entrevista exclusiva com Liam Cunningham, o Sor Davos de Game of Thrones
Notícias

Veja entrevista exclusiva com Liam Cunningham, o Sor Davos de Game of Thrones

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Liam Cunningham

Personagem é um dos mais importantes de Game of Thrones, série que iniciou na noite deste domingo, 12 de abril, a sua quinta temporada

A noite deste último domingo foi bastante especial para os fãs da série Game of Thrones. A HBO (americana e brasileira) estreou a quinta temporada de seu produto mais valioso, e para entrar no clima, o site Ao Feminino e Além publicou uma entrevista exclusiva bem bacana com um dos principais nomes da história, Liam Cunningham, o Sor Davos. Na próxima terça-feira, junto com o podcast Feminino na Telinha (que vocês recebem por aqui também), eles publicarão outra entrevista exclusiva, agora com Carice Van Houten, também da série.

Fiquem agora com algumas partes da entrevista. Para vê-la completa, clique aqui

Defina o cenário para Ser Davos quando o encontrarmos no início da quinta temporada.
Liam Cunningham – Pela primeira vez nós estamos por cima. A quarta temporada nos proporcionou dinheiro através do Banco de Braavos, e nós finalmente passamos a ter liquidez. Nós usamos o dinheiro para conseguir um exército, apesar de ser um exército contratado. Stannis é um experiente comandante de batalha e tem usado seus meios ardilosos para fazer um movimento de pinça (tipo de manobra militar na qual os flancos do exército oponente são atacados simultaneamente de forma a envolver o inimigo) severo sobre os Selvagens, salvar Jon Snow e capturar Mance Rayder. Assim, encontramos a equipe da Pedra do dragão no início da quinta temporada no que é para eles uma posição de luxo – na verdade eles têm um pouco de poder e derrotaram o “inimigo”. Para onde vamos a partir daí é bem lógico, eu acho – uma tentativa de colocar Stannis no trono agora parece ser uma possibilidade real, e começamos a quinta temporada nesse caminho.

Qual é a posição de Davos sob Stannis agora? Ele tem mais poder?
Liam Cunningham – Davos nunca pensaria nisso em termos de vitórias ou de pilhagens; há um trabalho a ser feito. Eu acho que a sua batalha é manter Stannis no caminho certo. Ele não é um militar, mas você pode imaginar que, à medida que a série progride, ele vai vir pra cima, principalmente por causa da Melisandre. E isso leva a uma conclusão muito séria e dramática. Talvez não devêssemos usar a palavra conclusão.

Como o Ser Davos e Jon Snow se dão? Você alguma vez pensou que eles poderiam ter algo em comum?
Liam Cunningham – Obviamente há uma enorme quantidade de respeito, e eu acho que de ambos os lados. No entanto, as responsabilidades do Jon aumentam, e ele está em uma posição muito difícil por causa de sua promessa à Patrulha da noite. Efetivamente ele é casado com a Muralha e isso pode se tornar um problema. Cada personagem é puxado em várias direções. Isso é uma das coisas gloriosas da série – lealdades, conveniência política e o desejo de manter-se vivo influenciam muito as decisões de cada personagem.

O que faz Davos se manter leal ao Stannis?
Liam Cunningham – Isso está relacionado com ele ter perdido seus dedos e com o fato de que Stannis lhe deu uma vida. Há uma cena logo no início da série na qual Davos diz ao seu filho: “Olha, ele nos tirou da miséria; ele nos deu uma vida: você pode ler. Davos é um Lord”. Ele é um homem decente, apenas um homem decente em um ninho de víboras. Ele certamente não é um covarde, porque ele não tem respeito por sua própria vida – Stannis lhe disse, acho que na terceira temporada, “Você não parece se importar muito com a sua vida” e ele respondeu “Não, realmente não”.  Em certo sentido, ele é o cara que todos nós gostaríamos de ser –mesmo tendo tido a oportunidade de vender a si mesmo, ou vender sua alma e ter riquezas e tudo mais, ele nunca sequer pensaria a respeito disso. Não há nenhum saco de dinheiro grande o suficiente para comprar esse homem, porque não é de sua natureza. Ele tem um desejo de recompensar decência: se ele foi bem tratado, em seguida, a matemática é, o que ele pode fazer por você em troca? Eu acho que isso que é lealdade. Há uma magnífica simplicidade para ele que é incrivelmente horosa.

Você acha que Game of Thrones é relevante para o cenário político atual?
Liam Cunningham – Sim, isso é uma das coisas que fazem a série ser tão grandiosa. Quero dizer, algumas dessas histórias nessa época, você apenas muda o nome dos personagens para o de certos políticos que vemos hoje e se torna vida real. Você pode ver esses caras que, presumo, entram para a política e negócios e todos esses tipos de coisas pelos motivos certos; eles querem chegar lá, querem fazer algum dinheiro e deixar uma impressão e um legado. No entanto, quando você joga o jogo, o que você precisa fazer para permanecer onde você quer estar pode destruir a razão pela qual você queria fazê-lo inicialmente. Coisas do tipo “os fins justificam os meios” são o que destrói a alma dos seres humanos.

Seria possível recomeçar as coisas entre Davos e Melisandre?
Liam Cunningham – Isso não estaria além das possibilidades. Se a mulher vermelha puder reverter a situação quando Stannis quiser me matar, e a mulher vermelha salvou a minha vida, então não seria impossível que George (RR Marting) pensasse “Vamos juntar esses dois. Tenham um bebezinho vermelho.” Isso seria divertido.

* Entrevista cedida pela HBO

* Tradução Diogo Caliman


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta