Telinha em Pauta: Gilberto Braga explica as razões da baixa audiência de Babilônia
Televisão

Telinha em Pauta: Gilberto Braga explica as razões da baixa audiência de Babilônia

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

* Coluna da jornalista Camila Botto sobre tudo que acontece no mundo televisivo

Baixa audiência de Babilônia

Na semana passada, o autor Gilberto Braga comentou, pela primeira vez, a baixa audiência de Babilônia, novela das 21h da Globo. Na ocasião, ele culpou São Paulo pela derrocada da história e disse que as mudanças realizadas no decorrer da trama alavancaram a audiência. Só que não é bem assim…

Dados do Ibope revelam que Babilônia tem na capital paulista praticamente o mesmo Ibope de todo o Brasil. Até o último sábado, a média da novela era de 25,4 pontos na Grande São Paulo. No Painel Nacional de Televisão, que congrega dados de 15 regiões metropolitanas do país, era de 26 pontos. Para se ter ideia do fiasco, Império, em sua reta final, cravava 40,8 pontos no PNT e 39,7 em São Paulo.

“No Nordeste e em Goiás, por exemplo, [a novela] deu 12 pontos. Aí, fizemos as correções [na trama] em deu certo no Brasil inteiro. Em Santa Catarina, passamos dos 12 para 42”, disse ao jornal O Globo. “Mas, depois das mudanças, a audiência não subiu em São Paulo. Até agora, eu sofro a humilhação pública diária de perder para a novela das 19h, I Love Paraisópolis”, emendou.

Glória Pires em Babilônia

Em Florianópolis, onde a novela tem a melhor média nacional, registra 34,1 pontos desde o primeiro capítulo (e não 42, como Braga afirmou). Babilônia não decolou na capital catarinensedepois das alterações que deixaram a novela mais conservadora. Em março, tinha 36,6 pontos na cidade (e não 12). Em maio, caiu para 32,1.

Veja a média de audiência de Babilônia nas 15 regiões metropolitanas medidas pelo Ibope (do primeiro capítulo até o último sábado):

PNT (Painel Nacional de Televisão): 26,0 pontos;
São Paulo: 25,4;
Rio de Janeiro: 28,7;
Campinas: 21,9;
Belo Horizonte: 20,3;
Vitória: 22,1;
Porto Alegre: 31,2;
Florianópolis: 34,1;
Curitiba: 28,6;
Salvador: 28,5;
Fortaleza: 26,6;
Recife: 21,8;
Belém: 27,8;
Manaus: 18,4;
Goiânia: 19,5;
Brasília: 26,9.

* Camila Botto é repórter do Correio, editora do site Feminino e Além, autora do livro Segredos Confessáveis e colunista do Cabine Cultural

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta