Mal-entendido em Moscou, de Simone de Beauvoir, chega às livrarias do país | Cabine Cultural
Literatura

Mal-entendido em Moscou, de Simone de Beauvoir, chega às livrarias do país

Simone de Beauvoir

Simone de Beauvoir

Texto inédito da filósofa chega às livrarias brasileiras pela Editora Record; Simone de Beauvoir é uma das mais significativas pensadoras do século XX

Os escritos de Simone de Beauvoir são sempre prazerosos, principalmente por conta da inteligência e sagacidade dessa que podemos considerar uma das principais pensadoras e feministas do século XX. Seus escritos são sempre bem vindos no Brasil e por isso a notícia de que mais uma de sua obra chega ao país é tomada com bastante alegria.

O lançamento, Mal-Entendido em Moscou, conta a história de André e Nicole, dois professores franceses aposentados, casados há muitos anos, que seguem em viagem à União Soviética para encontrar Macha, uma mulher jovem e decidida que vive o sonho do socialismo na Moscou dos anos 1960. Encantado por Macha, filha de seu primeiro casamento e, ao mesmo tempo, entristecido pelas memórias cada vez mais distantes das suas lutas da juventude, André, sem notar, se afasta da esposa. Nicole, por sua vez, sente falta dos tempos de professora e culpa André por uma aposentadoria que considera entediante.

A mulher desiludida
Mal-entendido em Moscou foi originalmente escrito entre 1966 e 1967, e deveria ter integrado a coletânea A mulher desiludida, que Simone lançou em 1968. O texto, porém acabou sendo substituído e somente em 1992 ele foi publicado pela primeira vez na França, ganhando as páginas da revista Roman 20-50.

Agora, a obra chega finalmente às livrarias brasileiras, em edição da Record.

Beauvoir
Simone de Beauvoir, escritora francesa, intelectual, filósofa existencialista, ativista política, feminista e teórica social, nasceu em 1908, em Paris. Ao longo da vida escreveu romances, ensaios, biografias, uma autobiografia e tratados de filosofia, política e questões sociais. Beauvoir morreu em 1986, depois de dedicar toda uma vida a escritos que figuram entre os mais importantes do século 20. Foi enterrada ao lado de Sartre, seu marido, no cemitério de Montparnasse.

Leitura imperdível.

SERVIÇO
Mal-entendido em Moscou

De Simone de Beauvoir
Tradução: Stella Maria da Silva Bertaux
144 páginas / R$ 25,00
Editora Record (Grupo Editorial Record)

Leia trecho do livro

Se a União Soviética optasse pela coexistência pacífica, o socialismo não seria um projeto para o futuro. Quanta esperança perdida! Na França, a Frente Popular, a Resistência e a emancipação do Terceiro Mundo não fizeram o capitalismo recuar nem um centímetro. A Revolução Chinesa gerou o conflito sino-soviético. Não, o futuro nunca pareceu tão desolador a André. “Minha vida não terá servido para nada”, pensou. Tudo o que havia desejado era que sua vida se inscrevesse de modo útil em uma história que levasse os homens à felicidade. Talvez um dia conseguissem. André tinha acreditado por tempo demais para não continuar acreditando mais um pouco: mas isto ocorreria através de desvios que levariam a história a deixar de ser sua.

A voz de Nicole o afastou de seus pensamentos.

— O francês de Macha é perfeito; talvez perfeito demais, um tanto afetado.

— Tenho muito medo de cometer erros — justificou Macha.

— Percebe-se.

Elas se voltaram novamente para as folhas datilografadas, sorrindo e cochichando. Nicole, em geral tão severa com as mulheres, sentia uma verdadeira amizade por Macha; o entendimento entre as duas agradava a André.

— Também quero ver essa tradução — disse ele.

Mesmo que o futuro parecesse desolador, não seria possível estragar esse momento de intimidade e ternura. André deixou suas ruminações de lado.

(Págs. 51 – 53)

Deixe uma resposta