Resenha de Sob o Mesmo Céu: roteiro confuso, mas com uma trilha sonora diferenciada
Cinema

Resenha de Sob o Mesmo Céu: roteiro confuso, mas com uma trilha sonora diferenciada

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Sob o mesmo céu

Uma história meio confusa e certinha demais, sem  aprofundamento e clímax, mal roteirizada, tornando-se um drama monótono e chato

Por Marcia Bessa

O filme  Sob o Mesmo Céu (EUA) tem a direção do cineasta Cameron Crowe, conhecido por filmes como Vanilla Sky, Jerry Maguire – A grande Virada, Quase Famosos e muitos outros, o que já é um chamariz para a plateia.

Brian Gilcrest (Bradley Cooper) é um ex militar mal visto por missões fracassadas, que retorna ao Havaí, sua cidade natal, com a missão de supervisionar o lançamento de um foguete financiado pelo bilionário excêntrico Carson Welch (Bill Murray).

Ao rever a namorada de juventude, Tracy Woodside (Rachel McAdams), começa a rolar uma atração entre ambos e emoções antigas vão se restabelecendo e pondo em risco o casamento de Tracy. Ao mesmo tempo Brian conhece a piloto da Força Aérea Allison Ng (Emma Stone), encarregada de acompanhar e supervisionar os passos deste militar. Sem perceber, Brian se envolve com Ng, ao tempo em que descobertas antigas vão se revelando para esta pessoa difícil e problemática. Cenas interessantes quando o ator Bradley Cooper contracena com  John Krasinski (piloto Woody, marido de Tracy), cenas sem diálogos onde os gestos falam mais que as palavras.

Drama com potencial para ser  bom, aliás, vamos esperando isto, levando em conta o histórico do diretor. Uma história meio confusa e certinha demais, sem  aprofundamento e clímax, mal roteirizada, tornando-se um drama monótono e chato. A trilha sonora é o diferencial do filme, muito boa e uma fotografia colorida e bonitas paisagens do Havaí.

Marcia Amado Bessa é enfermeira e escreve para o excelente blog Cine Amado


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta