Canal AXN estreia série The Blacklist. Confira crítica da primeira temporada
Séries

Canal AXN estreia série The Blacklist. Confira crítica da primeira temporada

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

NEW YORK, NY – OCTOBER 03: James Spader, Megan Boone film NBC-TV’s “the Blacklist”on October 3, 2013 in New York City. (Photo by Steve Sands/Getty Images)

Canal estreia desde a primeira temporada da série no dia 25 de junho; série é uma das maiores audiências Do Canal NBC, que passa a série nos Estados Unidos

O final de junho reserva uma ótima surpresa para os fãs da série de suspense/mistério/ação The Blacklist. Isto porque o canal AXN estreia na sua grade de programação a série, desde a sua primeira temporada. Assim, os fãs poderão rever as histórias de Reymond Red e Elizabeth Keen desde o seu início a partir do dia 25 de junho, às 22h.

História
Criada por Jon Bokenkamp e estrelada por James Spader, a produção conta a história de Raymond Red Reddington (Spader), um ex-militar do serviço de inteligência que se transforma em um dos criminosos fugitivos mais procurados do governo dos EUA. Quando ele decide se entregar aos federais, faz um acordo para ajudar a polícia a capturar o terrorista Ranko Zamani, assim como outros criminosos que fazem parte de uma lista secreta que ele tem acesso. Em troca, pede para trabalhar exclusivamente ao lado de Elizabeth Keen (Megan Boone), uma agente novata do FBI que, aparentemente, não tem nenhuma conexão com ele.

O último episódio da segunda temporada de The Blacklist foi exibido pelo Canal Sony no dia 9 de junho.

Crítica
22 episódios da primeira temporada depois e já podemos saber um pouco mais desta tumultuada relação entre Red e Elizabeth Keen, nada que consiga responder detalhadamente as questões acima, já que talvez estas respostas só ocorram lá nos episódios finais da série, e como The Blacklist foi renovada para uma nova temporada, é necessário para a produção continuar mantendo o mistério principal. Mas mesmo sem saber com exatidão qual o nível da relação estabelecida entre os dois, muitas coisas importantes já foram reveladas durante a temporada.

É bem interessante a estrutura narrativa da série, que a cada episódio apresenta um nome (e o seu respectivo número na Blacklist) para ser capturado pela força-tarefa criada pelo FBI com a ajuda de Reddington. Isso acontece aos moldes de séries como CSI, Grey’s Anatomy ou qualquer outro procedural. The Blacklist tem, no entanto, a seu favor o fato de possuir uma história central (mistério, suspense e drama) que se desenvolveu de forma bastante satisfatória ao longo dos 22 episódios.

Traições, relacionamentos pessoais e mortes de personagens interessantes fizeram parte da primeira temporada desta longa história. Alguns momentos chegaram a quase ser cansativos, principalmente naquela velha discussão envolvendo séries que trabalham em torno de agências como FBI ou CIA: como criar uma polícia que não seja muito capacitada, pois caso isso acontecesse não teríamos uma história, já que os vilões seriam pegos facilmente por eles?

Confira texto completo


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta