Documentário sobre Paco de Lucía abre Festival IN-EDIT em Salvador
Cinema

Documentário sobre Paco de Lucía abre Festival IN-EDIT em Salvador

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Paco de Lucía: La Búsqueda

Festival apresenta filmes sobre James Brown, Elliott Smith, Nas, Elza Soares, Premê, Carlos Imperial, Banguela Records, Rowland Howard, Reggae do Maranhão e Jamaica, e muito mais

Por Cristiana de Oliveira

Quando duas das artes mais admiráveis se encontram, o resultado tende a ser indescritível, não é verdade? É um pouco com essa ideia que o Festival IN-EDIT, que conecta cinema e música, chega a Salvador e fica aportada até o próximo domingo, dia 19 de julho. As sessões, que acontecem na Sala Walter da Silveira, prometem agradar, tocar e emocionar não somente os amantes do bom cinema, mas também os que nutrem amor incondicional pela música.

E foi com essa perfeita união entre imagem e sons que o documentário Paco de Lucía: La Búsqueda, de Curro Sánchez, abriu as atividades do festival na noite de ontem, 14 de julho em grande estilo.

Paco de Lucía
Um dos maiores nomes da guitarra flamenca é visto e compreendido neste documentário dirigido e produzido por seus filhos. Paco de Lucía rompeu os limites de seu instrumento, levando o flamenco aos palcos mais importantes do mundo. O filme, que já bateu recorde de venda na Espanha, ganhou merecidamente o Prêmio Goya de Melhor Documentário e foi exibido pela primeira vez no país na programação do festival.

Todo esse sucesso comercial e de crítica é compreensível, pois, de fato, ao término da sessão, o sentimento mais comum entre os espectadores é de admiração, não somente pela biografia de Paco, rica em histórias, graças e detalhes, mas, sobretudo pelo cuidado e pelo carinho que seus filhos tiveram no processo de montagem do filme.

Logo na primeira cena, ao ser questionado sobre a importância do violão na sua vida, Paco diz algo que nos toca pela honestidade e pela importância que aquelas palavras terão dali em diante no documentário. Ele fala, com uma voz bem serena, que o violão lhe permitiu mostrar a sua personalidade ao mundo. Sem o violão, ele não seria nada digno de atenção. E assim passamos a perceber como realmente seu corpo, sua expressão e seu espírito se transformam quando ele está em posse de seu violão.

Esta intensidade possui uma relação muito estreita com o estilo escolhido por Paco para mostrar a sua arte e sua identidade. A música flamenca é de uma dramaticidade impressionante e é bem difícil não se emocionar quando Paco de Lucía resolve entrelaçar os seus dedos nas cordas do instrumento, tirando desses movimentos sons que normalmente achamos impossível para um ser humano normal criar por tamanha rapidez, lucidez e arte.

Paco de Lucía: La Búsqueda

A intensidade, firmeza, força e propriedade com que ele toca parece levar o espectador a uma experiência das mais encantadoras. Violão e ele parecem se confundir e a vontade é quase a de levantar da plateia e bailar junto, parece te transportar para o palco e se encantar pela arte, pela história, pela sensibilidade e beleza do filme e da biografia. Se não acompanhou no Festival, vale muito a pena ver depois.

O festival IN-EDIT continua até o próximo domingo em Salvador, com um recorte dos mais relevantes do que tem sido produzido em termos de documentários musicais. Na programação, um pouco de Elza Soares, misturado com James Brown e com pitadas de Miranda, um dos nomes mais interessantes da produção musical no Brasil. Sugestões não faltam, é só pegar a lista de filmes que serão exibidos e escolher, aleatoriamente ou não, tanto faz, pois o sentimento de prazer será o mesmo.

Confira a programação aqui

Cristiana de Oliveira é crítica cultural e editora/administradora do site


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta