Corrente do Mal e o Top 5 de melhores filmes de terror em 2015
Cinema

Corrente do Mal e o Top 5 de melhores filmes de terror em 2015

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

It Follows

It Follows

O ano não tem sido dos melhores, mas ainda assim tivemos alguns bons exemplares deste que é um dos gêneros mais fascinantes do cinema

Já estamos quase em setembro, faltando pouco mais de quatro meses para que o ano cinematográfico acabe. E, mesmo sabendo que em outubro teremos estreias de vários filmes de terror, já podemos fazer uma pequena análise de como foi o ano para os amantes do gênero mais assustador da sétima arte.

Antes de tudo, devemos dizer que em quantidade o ano foi até bom, pois tivemos muitos filmes estreando em 2015. Longas como Renascida do Inferno, com a linda Olivia Wilde, não empolgaram tanto, mas até servem como bom entretenimento.

Tivemos também Poltergeist (Leia crítica), que chegaram com muita expectativa, mas no final das contas foi uma decepção. O filme não conseguiu nem 20% da força narrativa do original, e a ideia de atualizar a trama (com objetos modernos) não ficou tão interessante no filme.

Outro filme que ficou no quase foi Jessabelle (Leia crítica), com a bela Sarah Snook. O filme teve um início muito bom, perturbador até, com uma atmosfera bem sinistra, no bom sentido da palavra. Até que a história passou a ter reviravolta atrás de reviravolta e a segunda metade da trama ficou perdida.

Falando em belas, o que falar de O Garoto da Casa ao Lado (Leia crítica), com a atriz e cantora Jennifer Lopez? Bom filme até, mas com a história das mais normais e clichês que já vimos. Não que precisemos de originalidade sempre, mas este é um exemplo de um roteiro que certamente já foi usado em filmes anteriores.

O mais recente exemplar do gênero que não entrou no top 5 de melhores filmes de 2015 foi Exorcistas do Vaticano, filme que segue a mesma vibe de outros muitos sobre exorcismo, como O Exorcista, Exorcismo de Emily Rose…

Mas chega de falar de filmes razoáveis, e vamos aos destaques do ano até aqui. E quando acabar de ler, que tal conferir nossa lista de melhores filmes de terror sobrenatural? Só clicar aqui

A Mulher de Preto 2

A Mulher de Preto 2

5 – A Mulher de Preto: Anjo da Morte – O filme, dirigido por Tom Harper e escrito por Jon Croker (a partir da história de Susan Hill) entra na lista por um motivo bem específico: histórias de terror ambientadas no passado são geralmente sensacionais. Claro que, se compararmos com o primeiro filme, de 2012, este acaba se perdendo um pouco, mas a junção de terror mais pós-segunda mundial mais algum lugar da Europa é sinônimo de sustos e muito medo. E um filme de época como este traz na fotografia um de seus trunfos. Todo o ar melancólico e sombrio faz o filme ser interessante desde o seu início. (Veja matéria)

4 – A Forca – Eu sei que é controverso um filme como A Forca, claramente uma cópia de A Bruxa de Blair e de outros muitos filmes deste gênero especial (REC, Atividade Paranormal…). Porém devemos lembrar que o resultado obtido por um filme como este (que custou uma ninharia) é o mesmo, ou até melhor, que o resultado obtido em filmes que custaram milhões de dólares. A Forca prova que o cinema nem sempre precisa de efeitos especiais de última geração, ou de explosões e tudo o mais. Muitas vezes basta uma câmera na mão e uma ideia na cabeça. A Forca é isso: uma ideia, interessante, que traz uma trama legal e algumas sequências com uma dose bem grande de terror. (Veja o trailer)

3 – Sobrenatural: A Origem – já deu para perceber que o ano foi (tem sido) marcado pelas continuações. É realmente incrível a incapacidade dos roteiristas em criar histórias novas. Ou então a incapacidade dos produtores em se livrar de histórias repetidas só porque fez sucesso. Mas Sobrenatural ao menos fez bem o seu trabalho de assustar e entreter ao mesmo tempo. O grande destaque do filme é a presença de Elise, que acaba sendo o ponto de referência da história. Sem ela, seria impossível ligar as histórias. E este foi o tiro certo que o roteiro deu, já que muitas outras franquias que foram construir seus episódios de origem acabaram renovando todo o elenco, não sobrando nenhum personagem original para o espectador se agarrar. Assim fica mais difícil criar uma relação de empatia com a trama. Aqui isso não acontece, pois conhecemos e gostamos de Elise, e de seus dois futuros assistentes, que por sinal, conseguem ser o alívio cômico do filme. (Leia crítica)

Sobrenatural A Origem

Sobrenatural A Origem

2 – A Garota que Anda à Noite – Falar de um filme com este é bem surreal. Ele está aqui na lista muito mais pela sua ousadia narrativa, e pela sua originalidade estética, do que pela experiência de ver um terror e sentir medo. Poderíamos dizer que é um terror cult, um filme de arte que de algum modo se enquadra no gênero terror. O filme é o primeiro longa da diretora e roteirista Ana Lily Amirpour (inglesa de descendência iraniana) e é baseado em um curta do mesmo nome, que ela mesmo realizou em 2011. Falado em persa e ambientado na cidade fictícia de Bad City, lar de prostitutas, drogados e cafetões, o filme trabalha bastante no campo metafórico, onde vampiros e a sua figura demoníaca é usada como analogia para situações de nossa vida. No meio de tantas histórias ruins, de tantas histórias continuadas e de tantas histórias repetidas, colocar o filme na lista acaba sendo uma questão de mérito e que serve de incentivo para roteiristas criarem mais novidades.

1 – It Follows (Corrente do Mal) – estreia mais recente dos cinemas brasileiros, Corrente do Mal já ‘chega chegando’. E por que o filme é tudo isso? Porque quando há convergência de roteiro, direção, boa trama, atuações legais, trilha sonora sensacional e tudo o mais, o filme geralmente é bom. Neste caso Corrente do Mal proporciona ao espectador uma experiência que mistura o contemporâneo com o cinema clássico, sobretudo os filmes dos anos 1980. O filme chega a ser estranho, e acaba lembrando-nos do maravilhoso Donnie Darko, uma obra-prima da estranheza. A simbologia do sexo como elemento catalisador do início das situações de terror é fascinante, e abre pano para muitas discussões sobre metáforas. O sexo acaba sendo também uma espécie de homenagem aos filmes de terror dos anos 1980, onde o sexo sempre estava relacionado com a morte (só lembrar-nos de Jason em Sexta-feira 13). (Veja trailer)

E ai, algum outro filme que faltou na lista?


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta