Homem Irracional, de Woody Allen: divertidamente sombrio
Cinema

Homem Irracional, de Woody Allen: divertidamente sombrio

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Homem Irracional

Afinal, existe o crime perfeito, tudo é permitido quando o objetivo é uma causa nobre? Divertidamente sombrio, eis a química do filme

Por Marcia Bessa

Homem   Irracional (EUA),  escrito e dirigido por Woody Allen, é a cara do genial cineasta.

Misto de drama com suspense e humor  negro, ao mesmo tempo em que diverte, aguça a curiosidade da plateia, envolvendo questões filosóficas de julgamento, afinal  o que é certo ou errado?

Um ótimo roteiro, fotografia clara ambientada em cidade praiana dos Estados Unidos, diálogos verborrágicos divagando sobre o limite entre a moral e a leviandade. A trilha sonora um show à parte, uma mistura de jazz com um piano gostoso, que empolga o suspense.

O conceituado professor de filosofia Abe Lucas (Joaquin Phoenix), conhecido por seus livros e conceitos famosos, é a nova sensação de um campus universitário, quando decide dar aulas de verão.  Em plena crise existencial, desmotivado  da vida e desacreditado de suas ideias, Abe Lucas fascina seus alunos, em especial Jill (Emma Stone), uma aluna aplicada que torna-se sua amiga confidente. Esta por sua vez, atraída pelo seu intelecto, se apaixona pelo professor.

Abe passa a ser alvo de críticas e elogios na comunidade universitária, inclusive tem um caso com Rita (Parker Posey), uma professora casada.

Ao tomar conhecimento da forma arbitrária como o juiz Spangler (Tom Kemp) prejudica pessoas, Abe começa a questionar sobre as questões que envolvem moral e culpa, e tenta idealizar um crime perfeito. Isso traz um novo ânimo na sua vida, como se pudesse colocar em prática seus pensamentos filosóficos.

O ator Joaquin Phoenix está excelente no papel do protagonista Abe Lucas, o professor descrente de suas ideias filosóficas.

Afinal, existe o crime perfeito, tudo é permitido quando o objetivo é uma causa nobre? Divertidamente sombrio, eis a química do filme.

Marcia Amado Bessa é enfermeira e escreve para o ótimo site baiano Cine Amado


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta