Sexo: gozar não deve ser uma obrigação!
Sexo

Sexo: gozar não deve ser uma obrigação!

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Orgasmo

Coluna de sexo e comportamento do site Feminino e Além; em pauta, sexualidade e comportamento humano

Por Feminino e Além

Como BEM sabemos, ao atingir seu ponto máximo de prazer, o homem ejacula. Já no nosso caso, o orgasmo não vem acompanhado da ejaculação (ok, há o tal do squirt, a ejaculação feminina, como já até publicamos por aqui, mas isso ainda é algo a se discutir melhor e trarei algumas novidades sobre isso em um próximo post). O fato é que, de um modo geral e falando de forma bem simplista, os homens terminam a transa gozando sempre, enquanto as mulheres, nem sempre terminam o sexo com uma boa gozada.

A grande questão, e talvez uma das muitas vantagens de ser mulher, é que não precisamos efetivamente “chegar lá” para que o sexo seja prazeroso para a gente. Como é sabido e muito discutido por aí, o orgasmo feminino tem suas peculiaridades, dependemos muito do psicológico e tudo mais, entretanto, mesmo não atingindo o orgasmo, temos muitos clímax durante uma só transa, o que, ao menos para mim, é muito, muito bom também!

O problema é que, infelizmente, muitas pessoas acham que uma relação sexual satisfatória tem de terminar, obrigatoriamente, com um orgasmo. Acredito que esse pensamento e essa imposição acabam, na verdade, dificultando o orgasmo, que deve ser algo natural, deve acontecer sem pressões. É importante, entretanto, saber diferenciar o “nem sempre acontece” do “nunca acontece”.

Certamente, se não gozamos nunca, há algum problema. Seja ele físico ou psicológico, o melhor sempre, sem dúvida, é buscar orientação médica e, claro, conversar com a outra pessoa. Talvez, quem sabe, o problema seja até um descompasso entre o casal, falta de diálogo para identificar os desejos um do outro, e por aí vai.

Continue a leitura


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta