Boi Neon é o grande vencedor do Prêmio Redentor do Festival do Rio 2015
Notícias

Boi Neon é o grande vencedor do Prêmio Redentor do Festival do Rio 2015

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Boi Neon

“Festival do Rio exibiu filmes de 60 países entre 1º e 13 de outubro, divididos em mostras por categoria. Foram selecionados 41 longas e 19 curtas brasileiros na programação da 17ª edição”

Por Úrsula Neves

O grande vencedor do Troféu Redentor do Festival do Rio 2015 foi “Boi Neon”, de Gabriel Mascaro, que levou para casa os prêmios de melhor longa de ficção, melhor roteiro, melhor direção de fotografia e ainda de melhor atriz coadjuvante para a pequena Alyne Santana. Vale destacar que é a terceira vez em quatro anos um longa pernambucano ganha o Festival do Rio, depois de “O som ao redor” (2012) e “Sangue azul” (2014). A premiação aconteceu na noite desta terça-feira (13/10) no Espaço BNDES, no Centro do Rio de Janeiro.

O prêmio de melhor direção foi dividido entre dois cineastas cariocas que estrearam em longas este ano: Anita Rocha da Silveira, por “Mate-me por favor”, e Ives Rosenfeld, por “Aspirantes”. Na premiação de melhores atores, mais novos nomes do cinema nacional: Ariclenes Barroso e Julia Bernat, de “Aspirantes”, ganharam na categoria de ator e atriz coadjuvante. Já Valentina Herszage, de “Mate-me por favor”, foi escolhida a melhor atriz e Caio Horowicz, de “Califórnia”, foi o melhor ator coadjuvante.

O cineasta, dramaturgo, poeta e professor Ruy Guerra ganhou o Prêmio Especial do Júri pelo longa “Quase memória”. O prêmio de melhor documentário ficou com “Olmo e a gaivota”, de Petra Costa e Lea Glob, enquanto a melhor direção em documentário ficou com Maria Augusta Ramos por “Futuro junho”.

Na mostra Novos Rumos, o grande vencedor foi “Beira-mar”, dos igualmente estreantes em longa Filipe Matzembacher e Marcio Reolon, que já haviam levado para casa o Prêmio Especial do Júri Felix na noite de domingo.

Entre os curtas, o escolhido na competição oficial foi “Pele de pássaro”, de Clara Peltier; e na mostra Novos Rumos foi “Outubro acabou”, de Karen Akerman e Miguel Seabra Lopes. “Nise – O coração da loucura”, de Roberto Berliner, foi eleito pelo voto popular o melhor lona-metragem de ficção.

O Festival do Rio exibiu filmes de 60 países entre 1º e 13 de outubro, divididos em mostras por categoria. Foram selecionados 41 longas e 19 curtas brasileiros na programação da 17ª edição.

Confira abaixo a lista completa de vencedores:

Premiados Première Brasil
“Boi Neon”, de Gabriel Mascaro, 101 min (PE)
Prêmio de Melhor Longa-Metragem de Ficção eleito pelo Júri Oficial
Prêmio de Melhor Roteiro – Gabriel Mascaro
Prêmio de Melhor Fotografia – Diego Garcia
Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante – Alyne Santa

“Nise – Coração da Loucura”, de Roberto Berliner, 109 min (RJ)
Prêmio e Melhor Longa-metragem de Ficção eleito pelo Voto Popular

“Campo Grande”, de Sandra Kogut, 109 min (RJ)
Prêmio de Melhor Montagem – montador Sérgio Mekler

“Quase Memória”, de Ruy Guerra, 95 min (RJ)
Prêmio Especial do Júri

“Califórnia”, de Marina Person, 85 min (SP)
Prêmio de Melhor Ator Coadjuvante – Caio Horowicz

“Mate-me Por Favor”, de Anita Rocha da Silveira, 101 min (RJ)
Prêmio de Melhor Atriz – Valentina Herszage
Prêmio de Melhor Direção – Anita Rocha da Silveira

“Aspirantes”, de Ives Rosenfeld, 75 min (RJ)
Prêmio de Melhor Ator – Ariclenes Barroso
Prêmio de Melhor Direção – Ives Rosenfeld
Prêmio de Melhor Atriz Coadjuvante – Júlia Bernat

“Olmo e a Gaivota”, de Petra Costa e Lea Glob, 82 min (SP)
Prêmio de Melhor Longa-Metragem de Documentário – eleito pelo Júri Oficial

“Betinho – A Esperança Equilibrista”, de Victor Lopes, 90 min (RJ)
Prêmio de Melhor Longa-Metragem de Documentário – eleito pelo Voto Popular

“Futuro Junho”, de Maria Augusta Ramos, 100 min (RJ)
Prêmio de Melhor Direção

Mostra Competitiva de Curtas-Metragens
“Pele de Pássaro”, de Clara Peltier, 15 min (RJ)
Prêmio de Melhor Curta-metragem

“Até a China”, de Marão, 15 min (RJ)
Eleito pelo Voto Popular

Mostra Novos Rumos de Longas-Metragens
“Beira-Mar”, de Filipe Matzembacher & Marcio Reolon, 83 min (RS)
Melhor Longa-metragem

“Jonas”, de Lô Politi, 90 min (SP) (recebeu o prêmio especial do júri)
Prêmio Especial do Júri

Mostra Novos Rumos de Curtas-Metragens
“Outubro Acabou”, de Karen Akerman, Miguel Seabra Lopes, 24 min (RJ)
Melhor Curta-metragem

Jornalista carioca, mãe do Heitor. Gestora de Comunidade & Gerente de Projetos do Digitais do Marketing. Repórter do site Cabine Cultural. Adora ler, assistir séries pelo Netflix, ir ao cinema e teatro, navegar pela internet e viajar acordada ou dormindo.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta