Nos cinemas: a nostalgia de Viver é Fácil com os Olhos Fechados | Cabine Cultural
Cinema

Nos cinemas: a nostalgia de Viver é Fácil com os Olhos Fechados

Viver é Fácil com os Olhos Fechados

Com esta mensagem positiva e imprimindo um ar nostálgico, um filme que fala de sonhos e a coragem de correr atrás do que realmente  acredita e deseja

Por Marcia Bessa

Direção de David Trueba, o filme Viver é Fácil com os Olhos Fechados (Espanha) é uma comédia  dramática leve e nostálgica, ganhou seis prêmios Goya na Espanha e concorreu ao Oscar 2015 de Melhor Filme Estrangeiro.

Ambientado na década de 60, tendo como pano de fundo a ditadura de Franco, mostra a cultura e princípios cristãos da Espanha, a forma  de educação arcaica da época.

O simpático e simplório professor de inglês Antonio (Javier Câmara) é fanático pelos Beatles, em especial John Lennon.  Ao  saber que o próprio John Lennon estará gravando um filme na Província de Almería, Antonio decide ir atrás do seu sonho, tentar conhecer e conversar com seu ídolo. No trajeto conhece a jovem e doce Belén (Natalia de Molina), grávida de três meses e solteira, sem rumo nesta fase conturbada de sua vida, tentando descobrir o que realmente deseja. E o adolescente de 16 anos Juanjo (Francesc Colomer), que decidiu fugir de casa por não aceitar a educação autoritária de seu pai, também se junta a Antonio. E é justamente este trio, três personagens distintos e com questões pessoais tão diferentes, que neste road movie trocarão experiências e terão aprendizados para sua vida.

O ator Javier Câmara retrata muito bem o professor  simplório e atrapalhado, mas os outros dois personagens deixam a desejar, falta certo carisma e expressão corporal.

Com esta mensagem positiva e imprimindo um ar nostálgico, um filme que fala de sonhos e a coragem de correr atrás do que realmente  acredita e deseja. Lento, fotografia ensolarada e música agradável, ainda mais quando ouvimos o som dos Beatles, toca os nossos corações com leveza e suavidade. Filme para uma tarde agradável  sem maiores pretensões.

Marcia Amado Bessa é enfermeira e escreve para o ótimo blog de cinema Cine Amado

UCI OrientCinemas

Deixe uma resposta