Crítica MasterChef Júnior Brasil: 6º episódio, o mais controverso
Televisão

Crítica MasterChef Júnior Brasil: 6º episódio, o mais controverso

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

MasterChef Junior

Nenhum dos competidores mirins foram eliminados do programa; por um lado, alegria, mas por outro fica a frustração de não estarmos vendo um jogo de verdade

Por Luis Fernando Pereira

O último episódio do MasterChef Júnior trouxe um acontecimento que pode ter frustrado alguns espectadores do reality, mas que não é novidade algum na história deste tipo de formato. O programa faz sucesso, os personagens são todos adoráveis, e adorados pelo público, então tudo que puder ser feito para prolongar a experiência, deve ser feito.

Isto já aconteceu nos The Voice pelo mundo, no Aprendiz, na Casa Dos Artistas… são muitos os exemplos de programas que deixaram de eliminar candidatos em algum episódio, ou que os trouxeram de volta. No caso do MasterChef Júnior, o caso até se explica, pois segundo os Chefs não havia como declarar uma dupla vencedora para a prova, e também pelo fato do programa ter entrado num ritmo muito frenético de eliminações, dois por episódio, sem contar na enxurrada de eliminados da estreia.

Então o sentimento é de alegria, por continuarmos com os seis adoráveis competidores para o próximo episódio. Mas que isto não se repita, pois uma coisa é uma termos uma exceção, outra é não sabermos mais quais são as regras.

Episódio
Sobre o episódio da última terça-feira, alguns comentários: o primeiro é o tempo de duração do mesmo, que antes contava a favor, pois havia muitos candidatos para interagir, então a dinâmica fluía bem. Agora, com somente seis participantes, não é necessário o programa ter todo este tempo (quase três horas), pois fica maçante e cansativo. Deu para perceber isso claramente na terça, com o episódio mais arrastado até aqui. Não que tenha sido ruim, mas sem dúvida não foi tão prazeroso quanto os primeiros.

Outra constatação que devemos fazer é a previsibilidade desta primeira temporada. Como o MasterChef é uma experiência, sobretudo de talento, não fica tão difícil assim imaginarmos o ganhador ou ao menos os finalistas. Desde o início víamos Lívia, Sofia e Lorenzo como os melhores. Talvez a grande surpresa até aqui tenha sido a saída da Daphne, mas acredito que daqui para frente outras surpresas assim não irão acontecer.

MasterChef Brasil

Por mais lindas e talentosas que sejam Ivana e Valentina, elas estão em um nível abaixo que estes três participantes, então não será nada absurdo vê-las saindo já no próximo programa, caso voltemos a ter eliminações duplas.

Já Eduardo, que é o candidato que mais se arisca nos pratos, fica esta questão a ser analisada. Quando ele acerta, é difícil eliminá-lo, por questão de justiça, então fica a expectativa por quão sortudo ele vai estar em cada prova, já que o MasterChef é um programa eliminatório, que conta somente com o trabalho dos candidatos em cada prova.

Não adianta ele ter um retrospecto maravilhoso, como tinha Daphne ou Aisha; se errou, deve arcar com as consequências, que no caso do programa é a possibilidade de ser eliminado.

A prova do chantilly foi bem bolada, e foi bom vê-los sorrindo, porque a partir de agora a tensão vai acabar tomando conta dos episódios. Natural, e natural também vê-los pensando mais estrategicamente no jogo. Não há problema algum em você querer eliminar o candidato mais forte para ter mais chances de chegar à final.

O que não vale é ser desonesto, ou prejudicar o companheiro por conta disto. Isso nós não vimos até agora, muito pelo contrário. Vimos uma relação fraternal muito bonita entre Ivana e Lorenzo, ou vimos as outras meninas sempre tentando salvar as amigas. Nada mais natural… é assim na vida.

O programa continua na próxima terça-feira, com uma prova em equipes de três. Deu para ver pela chamada que uma destas equipes será composta por Lívia, Sofia e Lorenzo, simplesmente os três melhores da competição. Vamos ver o que acontece, mas desde já fica a aposta que desta prova sairá o provável campeão desta edição.

Luis Fernando Pereira é crítico cultural e editor/administrador do site


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta