Obrigatório para os fãs, livro Pearl Jam Twenty chega ao Brasil pela Editora BestSeller | Cabine Cultural
Literatura

Obrigatório para os fãs, livro Pearl Jam Twenty chega ao Brasil pela Editora BestSeller

Pearl Jam Livro

Pearl Jam Livro

Pearl Jam Twenty, feito para celebrar os 20 anos de carreira do grupo de Seattle, é um relato abrangente sobre uma das principais bandas de rock do mundo

Umas das mais importantes bandas da história do rock, que ajudou a colocar a cidade de Seattle no mapa da música, o Pearl Jam esteve recentemente no Brasil e a sua passagem, como todas as outras, entrou para a história.

Shows grandiosos, discursos relevantes e a promessa da doação de um dos cachês ao povo de Mariana, cidade mineira que sofreu uma terrível tragédia ambiental. O Pearl Jam prova mais uma vez que seus integrantes são únicos na cena mundial e a sua relevância para a música atual é até difícil de medir.

É nesse cenário que a Editora BestSeller lança o livro Pearl Jam Twenty, que chega ao Brasil em novembro. No livro os próprios integrantes da banda contam a história destes vinte memoráveis anos de banda, desde aquele início na fria cidade de Seattle, até os mais longínquos cantos do mundo. Com muitas imagens e entrevistas com todos os músicos, o texto vai relembrando, ano a ano, os momentos mais importantes da carreira deles.

O início
A história começa ainda com a Green River e a Mother Love Bone, bandas que acabaram dando origem ao Pearl Jam; a participação dos rapazes no sensacional filme Vida de solteiro, do diretor e amigo Cameron Crowe, ainda antes do estrelato; e o lançamento do lendário álbum Ten, um dos mais marcantes da década de 1990, e que trazia alguns dos maiores clássicos da banda: Alive, Black e Even flow, três petardos que ainda hoje são cantadas em coro por qualquer fã da banda.

Fatos marcantes
O livro mostra as diferentes fases da carreira do Pearl Jam e muito de como o grupo lidou com o sucesso depois da explosão do grunge. Momentos bem icônicos e relevantes, como a briga judicial com a Ticketmaster em 1994 – o grupo considerava injustas as taxas de serviço cobradas por eles nos preços dos ingressos – e a decisão de lançar o álbum Backspacer sem o apoio de uma gravadora em 2009, 15 anos depois, são exemplos de como os músicos sempre procuraram trabalhar de forma independente e com foco na música e nos fãs.

Traumas
Dois momentos são dignos de emoção e muito choro por parte dos fãs da banda, e da própria banda: a morte de Kurt Cobain e, principalmente, a morte de 9 fãs durante uma confusão numa apresentação no festival de Roskilde, na Dinamarca, em 2000. O episódio marcou para sempre a história da banda, que demorou muito a voltar a fazer shows em grandes arenas.

Nós repensamos tudo a partir daquele momento. Quando éramos responsáveis pela nossa própria segurança, quando éramos responsáveis pelos nossos próprios shows, eles eram selvagens, mas estávamos muito cientes do que acontecia à nossa volta. Depois do que ocorreu, passamos a não acreditar mais em eventos em que não tínhamos permissão no contrato para intervir e supervisionar a segurança da forma como sabíamos que deveria ser feito, sobretudo lidando com públicos grandes como aquele”, diz o guitarrista Stone Gossard no livro.

Depoimentos
Há ainda depoimentos de outros músicos, amigos e parceiros da banda, como Chris Cornell, Dave Grohl e Neil Young – que gravou um álbum, “Mirror Ball”, com os músicos do Pearl Jam. O cineasta Cameron Crowe, amigo de longa data da banda, escreve o prefácio do livro. Ele é o diretor do documentário “Pearl Jam Twenty”, lançado nos EUA na mesma época.

Veja um trecho do livro e compre-o, se possível. Ou dê de presente para aquele amigo fã do grupo.

Ainda parece que estamos crescendo até hoje”, diz Eddie Vedder. “Vi uma resenha há pouco tempo sobre como é raro ver uma banda que está junta há tanto tempo tocando com tanta disposição quanto tocamos. E realmente isso não deveria ser uma surpresa. Estamos fazendo isso agora há vinte anos. Você deveria ficar melhor. Você deveria ser capaz de trabalhar mais. Mas é um jogo de números, também, porque o rock´n´roll e a rebeldia e todas essas coisas são meio que um jogo para os jovens. Mas esse fogo não tem que se apagar. Na verdade, ele não se apaga a não ser que você permita. Temos cinco pessoas ainda querendo continuar a jogar grandes troncos na fogueira.”

PEARL JAM TWENTY
Pearl Jam
Páginas: 384
Preço: R$ 99
Tradução: Rodrigo Tavares de Moraes
Editora: BestSeller | Grupo Editorial Record







Deixe uma resposta