Crítica A Visita: um misto de terror e suspense em forma de sátira
Cinema

A Visita: um misto de terror e suspense em forma de sátira

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

A Visita


Á medida que é contado como um documentário, os personagens tremem junto com a câmera, e a tensão e o medo vai crescendo

Por Marcia Bessa

O filme A Visita (EUA) tem direção e roteiro do indiano M.Night Shyamalan, conhecido por filmes como O Sexto Sentido e Corpo Fechado.

Um misto de terror e suspense em forma de sátira, como a parodiar os filmes de terror. Inovador, inteligente e cheio de surpresas, ao mesmo tempo em que diverte, a plateia se assusta e certas cenas leva até a angústia.

Becca e Tyler (Olivia DeJonge  e  Ed Oxenbould), de 15 e 8 anos, são irmãos e vão passar 7 dias com os avós maternos que nunca conheceram. Sua mãe (Kathryn Hann) rompeu a relação com os pais ao deixar a casa aos 19 anos, para casar com seu pai. Becca adora cinema e que ser cineasta, e ver a oportunidade de realizar seu primeiro documentário sobre a vida de sua mãe.

Mas o que parecia ser uma semana de férias se transforma em uma experiência assustadora. O comportamento dos seus avós (Peter McRobbie e Deanna Dunagan) que a princípio parecia estranho, uma demência, passa a chocar os meninos, até se sentirem ameaçados, com perigo de vida.

Á medida que é contado como um documentário, os personagens tremem junto com a câmera, e a tensão e o medo vai crescendo.

Em certo momento fica meio arrastado, mas da metade do filme até o fim há vários acontecimentos que prendem a atenção da plateia, à espera de um desfecho para entender melhor a situação. Que por sinal surpreende, muito bem sacado.

Um filme interessante, que leva a risos e tensão nervosa, com uma história estranha. E os atores mirins dão um ar divertido e natural.

Marcia Amado Bessa é enfermeira e escreve para o ótimo blog Cine Amado


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta