Telinha em Pauta: entrevista exclusiva com Sérgio Guizé
Televisão

Telinha em Pauta: entrevista exclusiva com Sérgio Guizé

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

LogoColuna da jornalista Camila Botto sobre tudo que acontece no mundo televisivo

Entrevista com Sérgio Guizé

A partir de segunda-feira, passaremos a acompanhar Êta Mundo Bom!, nova trama das 18h da Globo. A história de Walcyr Carrasco, com direção de Jorge Fernando, será estrelada por Sérgio Guizé. O ator viverá Candinho, moço bonito do interior que tem boa dose de otimismo para encarar os percalços da vida.

Em entrevista à coluna, Sérgio Guizé fala da preparação para o personagem, de sua relação com os animais, de seus outros projetos e também da Bahia.

O lema de Candinho é “Tudo o que acontece de ruim na vida da gente é pra meiorá”. E Guizé? Tem também esse otimismo?

Sim. Sou muito otimista e espero que fazendo o Candinho eu possa transmitir toda essa esperança e alegria ao espectador.

Candinho ( Sergio Guize ) com Policarpo

Candinho ( Sergio Guize ) com Policarpo

Como foi sua preparação para viver Candinho e quais lições ele tem te dado?
Assisti muito Mazzaropi, acho que ele é um gênio, revi muita coisa, sempre fui muito fã, li Candide où optimisme de Volteire, aulas de prosódia…ainda estou em processo e está sendo lindo e prazeroso. O Candinho sempre diz que humildade e bom humor nunca são demais.

Ele vai ter um companheiro inseparável, o burro Juca. Como é gravar com um animal e como é sua relação com os bichos?

Amo os animais, desde sempre. Mas amo um pouco mais meu cachorro Gustavo, que já fez dois filmes comigo. Fiz Saramandaia com um gavião e nos demos muito bem. É sempre um aprendizado.

Desde Saramandaia você coleciona papeis importantes na TV e este já será seu segundo protagonista. Como encara essa responsabilidade?

Bom, em Saramandaia eu também era um dos protagonistas e estou adorando a responsabilidade, pois me permite criar, pesquisar e me esforçar muito mais. Estou muito feliz.

Ele será apaixonado pela personagem da Débora Nascimento. Como tem sido essa troca?
Está sendo muito bom. Além de talentosa, ela é muito generosa. Fizemos Alto Astral e acabamos de fazer Tudo Bem Tudo Bom, filme de Willy Biondani. Vamos nos divertir, com certeza.

Além da novela há algum outro projeto?
O filme Beatriz, do Alberto Graça que estreou no Festival do Rio. Tem ainda outros três montando: Além de Tudo Bem Tudo Bom, tem Uma Loucura de Mulher, do Marcus Ligorki, e Barata Ribeiro 235, do Domingos de Oliveira…E sigo compondo e tocando com o Tio Che.

Tem algum papel ou tipo em especial que ainda queira fazer um dia?
Quero muito trabalhar em cima de uma obra do escritor russo Dostoievski, mais uma vez.

Conte um pouco da tua relação com a Bahia.
Bom…nem sei por onde começar. Tudo que eu disser vai ficar aquém dessa terra mágica…deixo aqui expressado todo meu amor e o coração apertado de lembranças saudosas. Viva a Bahia, Axé!

Camila BottoFormada em jornalismo com pós-graduação em mídias digitais, Camila Botto é colunista do Cabine Cultural, editora-chefe do Feminino e Além e autora do livro Segredos Confessáveis.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta