Crítica: Lifetime lança UnReal, série que mostra os bastidores de um reality show | Cabine Cultural
Séries

Crítica: Lifetime lança UnReal, série que mostra os bastidores de um reality show

UnREAL

UnREAL

Série estreou no último dia 28 de março e terá toda a primeira temporada exibida pelo canal fechado; interessante, e com ótimo roteiro

Desde o último dia 28 de março que o canal fechado Lifetime exibe a série UnReal, uma série perfeita para os amantes dos mais diversos realitys shows produzidos no mundo.

E isso porque a sua premissa é das mais interessantes: o que acontece nos bastidores de um programa com este formato?

Sim, UnReal parte desta premissa e se sustenta muito bem com ela, ao menos nos primeiros episódios. A série é inspirada no premiado curta-metragem Sequiz Raze, de Sarah Gerttrude Shapiro, ganhadora do SXSW (South by Southwest Film Festival’s) e aborda a manipulação dos participantes de um reality show, à frente e por trás das câmeras, em busca de mais audiência.

E é exatamente aqui que vemos o que de melhor a série oferece: a construção de um roteiro dentro de um roteiro já estabelecido.

UnREAL

UnREAL

Sempre nos perguntamos como acontece um reality show, já que ele aparentemente não possui roteiro, uma história pré-pronta. Pois bem, UnReal nasce para desmistificar esta ideia e desmenti-la por total. Mesmo realitys possuem roteiros, com personagens centrais, coadjuvantes, vilões, mocinhos, o galã… exatamente tudo que vimos numa série ou em um filme.

Leia também:  Editora Matrix lança livro caixa com ideias para pôr em prática em 2017

UnReal então passa a acompanhar os bastidores de Everlasting – um famoso reality de namoro, em que um solteiro cobiçado deve encontrar o amor num grupo de mulheres – e mostra o que os produtores são capazes de fazer para o sucesso do programa.

Temos na linha de frente do show a jovem produtora Rachel Goldberg (Shiri Appleby), estimulada por sua inescrupulosa chefe Quinn King (Constance Zimmer), deixa sua integridade de lado para manipular os participantes e conseguir fortes escândalos, para atrair o público e aumentar a audiência.

Piloto
O episódio de estreia, O Regresso, já proporciona ao espectador conhecer exatamente toda a série. E nele já sabemos que a bela e talentosa Shiri Appleby será a grande protagonista. Ela quem dá vida ao piloto, apresentando uma personagem confusa, mas absurdamente competente para o seu trabalho, mesmo que por vezes ela se encontre em situações de dilema por conta de sua função no programa.

O reality é dela, Rachel Goldberg. Ela é a responsável por fazer o roteiro do reality show funcionar, manipulando as participantes para conseguir que a história caminhe para determinado lado. E ela oferece também a sua própria vida como conteúdo para a série, que também focará nos seus dilemas, no seu passado e nos seus relacionamentos. O título do piloto, afinal de contas (O Regresso) é sobre ela.

Leia também:  Canal Lifetime estreia nova temporada de Dance Moms com episódio duplo

Sobre a estrutura da série, e sobre as duas personagens principais, que de certa forma antagonizam, Marti Noxon, produtor da série, comenta,

UnReal

UnReal

Criamos duas mulheres anti-heroínas desconhecidas. Ambas estão imersas em uma prisão mental, e acreditam não ter outra opção que fazer seu trabalho”, diz ele. “A sátira é um dos tons da série, embora também queríamos que  fosse verdadeira, tratando de nos manter com pés na terra”.

A outra produtora e alma da série, Sarah Gertrude Shapiro, também comenta,

Uma das razões pelas quais este mundo é o lugar perfeito para realizar esse tipo de série é que ele é justo como um bastião do dilema moral. Cada etapa se compõe de um desafio a cada pessoa e de constantes decisões. Há um diabo sobre teu ombro que insiste para que você vá pelo caminho errado. É um mundo cheio de anseios: ou é o amor ou é o sucesso ou o amor por meio do sucesso”.

Leia também:  Crítica: Editora BestSeller lança no país Jennifer Lawrence: a garota em chamas

Com um elenco dos mais interessantes, um roteiro que ao mesmo tempo em que flerta com um reality show bobo e quase que adolescente (busca da alma gêmea), ele é absolutamente adulto e dramático, com uma série de sutilezas em alguns momentos, e uma série de situações bem grosseiras (no bom sentido) em outros. Temos ao mesmo tempo metáforas sobre a vida e também cenas diretas de sexo ou com palavreado chulo.

UnReal estreia no Brasil, depois de ter feito uma base de fãs bem grande no exterior. A série, que já tem a segunda temporada garantida, é uma das melhores opções da televisão fechada no Brasil atualmente e merece ser vista e analisada, pois agrega muito a todos que estudam este fenômeno atual que é o reality show.

UnReal no Lifetime, toda segunda-feira, às 23h30


Deixe uma resposta