Nova temporada de A Outra Casa, de Sharr White, estreia dia 30 de abril no Teatro Cândido Mendes, no RJ | Cabine Cultural
Notícias Teatro

Nova temporada de A Outra Casa, de Sharr White, estreia dia 30 de abril no Teatro Cândido Mendes, no RJ

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Logo Cultura PopColuna da jornalista Úrsula Neves sobre tudo que acontece no universo da cultura pop

Nova temporada de A Outra Casa

A vulnerabilidade do ser humano diante dos transtornos da memória é o ponto de partida para o desenvolvimento deste thriller emocional escrito pelo autor norte-americano Sharr White em A Outra Casa, que volta aos palcos cariocas no dia 30 de abril, de sexta a domingo, no Teatro Cândido Mendes. A montagem inédita no Brasil conta a história de uma neurologista de sucesso que se vê desafiada pelos próprios lapsos de memória. O espetáculo vai sendo construído através de um quebra-cabeça que envolve protagonista, público e personagens desde a primeira cena.

O projeto chegou às mãos da atriz Helena Varvaki em 2015, pelas mãos de Marjorie Estiano e do tradutor Diego Teza. A atriz, que acaba de ser premiada pela sua personagem Enfermeira Ratched, em Um Estranho No Ninho (de Dale Wasserman e direção de Bruce Gomlevsky), se encantou pelo projeto e convidou Gabriela Munhoz, que foi preparada por Helena no longa Vidas Partidas, de Marcos Schechtman, para atuar no espetáculo. Em seguida chamou o marido Manoel Prazeres para dirigi-las continuando nos palcos a parceria profissional iniciada em 1987 com a fundação do Teatro Kairos. Juntos escolheram o resto do elenco formado pelos atores Alexandre Dantas (temporada de estreia, no CCJF), Marcos França (segunda temporada, no Teatro Cândido Mendes), Rick Yates e Daniel Orlean, que também assina a assistência de direção.

Leia+  Procura-se: poeta busca leitores de literatura negra feminina

A Outra Casa

A Outra Casa

Com a boa repercussão da estreia, o autor Sharr White se prontificou a vir para a reestreia e fará um bate-papo com a plateia, no dia 1º de maio, após a apresentação. A peça é considerada uma obra prima do escritor, que teve sua estreia internacional no final de 2012 na Broadway com a Laurie Metcalf no papel principal. A grande estreia aconteceu depois de passar pelo circuito off, quando foi indicada ao Outer Critics Circle Award como melhor peça off-Broadway e Melhor Atriz (Laurie). Além de teatro, Sharr é conhecido por ser o autor da série The Affair, ganhadora de vários Globos de Ouro.

Sinopse:

Juliana Smithton (Helena Varvaki), uma neurologista de sucesso, tem um lapso de memória na apresentação para uma plateia de médicos de um novo remédio desenvolvido por ela. A partir deste episódio ela vai sendo impulsionada a rastrear sua lucidez. Este rastreamento é feito através de embates com seu marido, com sua médica, com as lembranças de sua filha desaparecida e consigo mesma. No decorrer da trama, o espectador vai sendo levado, junto com a protagonista, à compreensão do que está de fato ocorrendo. O público é convidado a montar o quebra-cabeça, acompanhando a trajetória de aceitação e transformação de Juliana ao relembrar e assimilar os acontecimentos de seu passado.

Entrevista
Em entrevista exclusiva para a Coluna Cultura Pop e Etc., a atriz Helena Varvaki explicou como foi o processo de construção deste personagem tão complexo. “Fui buscando compreender os caminhos e descaminhos da Juliana através do que me é dado no texto. Quais são as circunstâncias que ela se encontra? Como ela lida com os acontecimentos e pessoas a sua volta? Como ela lida com a profissão? Gosto muito de fazer perguntas quando começo um processo e busco não dar respostas imediatas. O espaço da dúvida é, na minha percepção, um espaço bem mais fecundo que o das certezas. Teve um desafio muito concreto que foi dar conta do texto, as cenas são entrecortadas, não seguem um fluxo fácil. Mas os desafios são impulsos! O processo de ensaios, com a condução do diretor (Manoel Prazeres) e a troca com meus parceiros de cena foram também fundamentais. A trama é muito bem construída e trata de um tema que tem me tocado muito. A fragilidade perante a perda da memória e como somos capazes de não estagnar na vida por conta disso. Também me encanta o fato da Juliana ser uma pessoa extremamente inteligente e que, apesar disso, não consegue ver o que está acontecendo com ela”.

Leia+  Murilo Rosa conversa sobre Deus com Letícia Braga em cena inédita de A Menina Índigo

Ficha Técnica
Texto: Sharr White
Tradução: Diego Teza
Direção: Manoel Prazeres
Assistente de Direção: Daniel Orlean
Elenco: Helena Varvaki, como Juliana
Marcos França, como Ian
Gabriela Munhoz, como A Mulher
Daniel Orlean / Rick Yates, como O Homem
Meninas nas imagens: Joana Pacheco e Luiza de Freitas Paiva
Cenografia: Doris Rollemberg
Figurinos: Leticia Ponzi
Iluminação: Renato Machado
Trilha sonora: Rick Yates e Renato Alscher (Another Hot Brand)
Direção de Vídeo: Rodrigo Turazzi
Assistente de Direção de Vídeo: Duda Paiva
Fotografias: Guido Argel
Programação visual: Flavio Luiz Pereira
Direção de produção: Rafael Fleury e Manoel Prazeres
Administração: Rosa Ladeira
Operação de som e projeção: Sonia Margarita
Operação de luz: Pedro Thimoteo
Camareira: Fernanda Botelho
Contrarregra: Luis Felipe Cardoso
Realização: Helena Varvaki, Gabriela Munhoz, Daniel Orlean e LMPR
Serviços Tecnológicos e Culturais Ltda
Divulgação: Lu Nabuco Assessoria em Comunicação

Leia+  Obra sick-lit sensação entre os jovens ganha continuação e lançamento na Bienal do Rio

Serviço
Reestreia: 30 de abril de 2016
Horário: Sextas e sábados, às 20h e domingos às 19h
Temporada: De 30 de abril a 26 de junho
Teatro: Teatro Cândido Mendes
Endereço: Rua Joana Angélica, 63
Preço: R$ 60,00 (inteira) / R$30,00 (meia)
Duração: 90 minutos
Classificação indicativa: 16 anos
Gênero: Drama
Capacidade do teatro: 100 lugares

 

Úrsula Neves fotoJornalista carioca, mãe do Heitor. Gerente de Conteúdo e de Projetos do Digitais do Marketing. Colunista convidada do Blog Eu, Ele e as Crianças. Adora ler, assistir séries pelo Netflix, ir ao cinema e teatro, navegar pela internet e viajar acordada ou dormindo. No Cabine Cultural possui a coluna Cultura Pop e ETC… sobre tudo que acontece no universo da cultura pop.

 


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta