Entrevista: Oceano Vieira de Melo, documentarista e curador da Primeira Mostra de Filmes Espíritas do Rio de Janeiro | Cabine Cultural
Cinema Entrevistas Notícias

Entrevista: Oceano Vieira de Melo, documentarista e curador da Primeira Mostra de Filmes Espíritas do Rio de Janeiro

Logo Cultura PopColuna da jornalista Úrsula Neves sobre tudo que acontece no universo da cultura pop

Entrevista Oceano Vieira de Melo

Entre os dias 22 e 28 de setembro será realizada a Primeira Mostra de Filmes Espíritas do Rio de Janeiro no Centro Cultural Luiz Severiano Ribeiro, mais conhecido como Cine Odeon, na Cinelândia.

A iniciativa do evento é da Fundação Cristã-Espírita Cultural Paulo de Tarso (Funtarso) e da Versátil Digital Filmes com a curadoria do jornalista, pesquisador e documentarista Oceano Vieira de Melo.

Na programação está a exibição de documentários e filmes de longas metragem sobre o Espiritismo e de debates com a presença de alguns dos diretores dos filmes exibidos, apresentadores da Rádio Rio de Janeiro e demais convidados. Também haverá a realização de uma Feira de Livros Espíritas com sessões de autógrafos.

Entre os documentários programados estão Eurípedes Barsanulfo, Educador e Médium; Chico Xavier, o Grande Médium Espírita; Luz da Escola; Allan Kardec, o Educador; Peixotinho e Materializações de Espíritos. Entre os filmes longa-metragem estão Nosso Lar; Chico Xavier, o Filme; As Mães de Chico Xavier e O Filme dos Espíritos.

Os ingressos estão sendo vendidos na bilheteria no Cine Odeon e através do site Ingresso.com com valores de R$ 30 por cada sessão ou com um passaporte que dá direito a 20 sessões por R$ 290. Estudantes e maiores de 65 possuem meia entrada. Mais informações podem ser encontradas no site ou na página do Facebook.

A jornalista Úrsula Neves, responsável pela Coluna Cultura Pop e Etc., entrevistou o curador da mostra, o pesquisador e documentarista Oceano Vieira de Melo, diretor da Versátil Digital Filmes para saber mais detalhes do evento e também sobre a carreira e os próximos projetos do roteirista do filme E a Vida Continua.

Úrsula Neves: Oceano, você é o curador da Primeira Mostra de Filmes Espíritas do Rio de Janeiro. Por que promover este evento? 

Oceano Vieira de Melo: Percebemos que já existia 25 filmes com essa temática, contando histórias reais e expondo documentalmente, nossos pioneiros, dignos de serem mostrados em uma Mostra Cultural e em local adequado. O nosso objetivo é mostrar o ideal pacifista e humanista do Espiritismo através da Sétima Arte, não apenas como entretenimento, mas como fatos descobertos em pesquisas.

Curador Oceano Vieira de Melo

Curador Oceano Vieira de Melo

Úrsula Neves: Quais serão os diferenciais deste evento para o público do Rio de Janeiro?

Oceano Vieira de Melo: Vamos exibir 20 filmes sendo, onze documentários e nove filmes de longa-metragem, alguns inéditos no cinema e na televisão.

Úrsula Neves: Você já participou de outras mostras com essa temática no Brasil. Como tem sido o retorno do público ao final destes eventos? 

Leia também:  “Quando a noite cai”, o novo livro da best-seller Carina Rissi

Oceano Vieira de Melo: Notamos que existia a possibilidade de uma mostra mais completa. A partir de 2010, com as comemorações do centenário de nascimento de Chico Xavier, foram produzidos muitos filmes que não tiveram sua exposição numa sala de cinema. O Rio de Janeiro é uma cidade ideal para iniciarmos essa mostra no Brasil, que já foi realizada em uma universidade em Londres, em 2012, com legendas em inglês. Foi um sucesso.

Úrsula Neves: Haverá a presença dos diretores dos filmes apresentados. Quem já confirmou presença?

Oceano Vieira de Melo: Temos confirmadas as presenças de Wagner Assis, do filme Nosso Lar; de Clery Cunha, de Joelma 23ª andar, primeiro filme espírita do mundo com esta temática exibido nos cinemas em 1979; de Paulo Figueiredo, diretor de E A Vida Continua…, baseado na Obra de André Luiz; de André Marouço, diretor de O Filme dos Espíritos e do recente Nos Passos do Mestre; e de Glauber Filho, de Bezerra de Menezes – O Diário de Um Espírito, As Mães de Chico Xavier e Bezerra de Menezes: o Médico dos Pobres.

Úrsula Neves: Você é um dos pesquisadores e produtores de material audiovisual mais respeitados do país. Conseguiria destacar os trabalhos mais importantes da sua carreira?

Oceano Vieira de Melo: Considero os mais importantes os resgates originais dos dois programas jornalísticos Pinga Fogo e do áudio gravado durante as sessões mediúnicas do Grupo Espírita Meimei, em Pedro Leopoldo, nos anos 1955 e 1956, que foram transcritos ainda nos anos 50 para dois livros históricos e publicados em DVD duplo pela Versátil Vídeo Spirite como Instruções Psicofônicas e Vozes do Grande Além, ambos com o querido médium Chico Xavier. Dos filmes que fiz que mais gosto estão Eurípedes Barsanulfo – Educador e Médium e o mais recente, Luz da Escola – De Clóvis e Nina. 

Foto Oceano Vieira de Melo

Foto Oceano Vieira de Melo

Úrsula Neves: Como e quando começou o seu interesse pelo audiovisual? 

Oceano Vieira de Melo: Desde criança, quando vendia balas no meu “Cinema Paradiso” da minha cidade natal, para ter direito a assistir os filmes do Neorealismo italiano, da Novele Vague francesa e do Cinema Novo brasileiro.

Úrsula Neves: Sei que você também é jornalista. Foi uma decisão difícil seguir essa trilha para o audiovisual? Quais as maiores dificuldades que o você teve pelo caminho?

Oceano Vieira de Melo: Aprender a pesquisar em várias fontes, escrever e utilizar a técnica documental para filmes, já com meus 55 anos. Nunca contamos com ajuda financeira. Como fazemos tudo sozinho e com o olhar jornalístico, produzimos nossos documentários com parte do meu pró-labore e da minha mulher, que também é co-produtora. Todos os oito filmes que fizemos são focados na história de vida dos biografados. Nosso objetivo nunca foi fazer proselitismo, não nos sentiríamos confortáveis se fizéssemos isso. Ficamos muito felizes, quando nossos filmes são aceitos para serem exibidos em Festivais de Cinema e na TV por assinatura como filmes normais.

Leia também:  A Grande Ressaca – 11 comédias inusitadas de Matéi Visniec, estreia na Cidade das Artes

Úrsula Neves: Qual a visão que o público possui hoje em dia dos filmes espiritualistas?

Oceano Vieira de Melo: Sim, existe um público que procura filmes que consolem e mostrem a verdade. Mesmo as pessoas avessas a qualquer temática religiosa ou doutrinal se interessam pelos filmes que, assim como na literatura espírita, encontram as respostas que os levarão a desenvolver sua própria espiritualidade.

Úrsula Neves: Você possui algum projeto em andamento, quem sabe um novo filme a caminho?

Oceano Vieira de Melo: Estamos produzindo dois documentários: um sobre a médium Yvonne do Amaral Pereira e outro sobre o jornalista e escritor português Isidoro Duarte Santos e sua mulher a médium portuguesa Maria Gonçalves Duarte Santos. Ambos muitos conhecidos em Portugal e no Brasil, nos anos 40 e 50.  Em pré-produção temos o áudio série Boa Nova, para CD, baseado na Obra de Humberto de Campos pelas mãos de Chico Xavier. Descobrimos recentemente que existem músicas para piano e canto baseadas nas obras de Emmanuel, André Luiz, Auta de Souza e Amália Domingos Soler. Já estamos em pré-produção de um CD e DVD. São projetos que demandam de aporte financeiro para se materializarem, se não se perdem.

Úrsula Neves: Qual o projeto que você ainda não realizou que gostaria de tirar do papel?

Oceano Vieira de Melo: O mundo ainda não está preparado para ter uma história original filmada dos bastidores espirituais do Cristianismo nascente. Creio ser necessário uns 200 anos para isso. É um projeto que idealizo, se isto é possível, para minha próxima encarnação, fazer um filme sobre a obra Paulo e Estevão, e outros sobre toda a obra de Humberto de Campos recebida por Chico Xavier através do espírito Emmanuel.

Úrsula Neves fotoJornalista carioca, mãe do Heitor. Gerente de Conteúdo e de Projetos do Digitais do Marketing. Colunista convidada do Blog Eu, Ele e as Crianças. Adora ler, assistir séries pelo Netflix, ir ao cinema e teatro, navegar pela internet e viajar acordada ou dormindo. No Cabine Cultural possui a coluna Cultura Pop e ETC… sobre tudo que acontece no universo da cultura pop.

Deixe uma resposta