menu
Episódio desta terça de A Bíblia na Record promete muita tensão com Pedro e João presos novamente | Cabine Cultural
Notícias Televisão

Episódio desta terça de A Bíblia na Record promete muita tensão com Pedro e João presos novamente

A Bíblia

A Bíblia

Pedro e João são presos novamente, mas sobrevivem a um segundo julgamento graças ao sacerdote Gamaliel

Uma das séries religiosas de maior sucesso da história da televisão, A Bíblia chegou em sua segunda temporada e continuou com muita popularidade na Inglaterra e no resto do mundo. No Brasil a Record exibe a série que já está na segunda temporada.

Na noite desta terça, dia 1º de novembro, o quinto episódio da série será exibido e teremos muitas emoções.

A Bíblia – Nova Temporada  vai ao ar às 23h.

Confira como será o episódio desta terça

Pedro e João são presos novamente, mas sobrevivem a um segundo julgamento graças ao sacerdote Gamaliel.

Muitos seguidores ficam abalados pela morte de Ananias e Safira e agora estão com medo de Pedro. Ter pessoas com medo dele é uma experiência nova e inquietante para Pedro e ele tem que contar com a força de sua filha de Maya. Pedro também está furioso com o desejo ardente de Estevão de pregar no Templo.

Através de Eva, Lia consegue localizar Boaz. Caifás tenta encontrá-lo, no intuito  de ter um confronto com Pedro. Boaz é cada vez mais sacudido com a culpa sobre os civis que sofrem em seu nome e ele decide se entregar. Ele entrega-se a Caifás, que por sua vez passa-o a Pilatos.

Boaz é morto e seu corpo é grotescamente exibido em público e entre a multidão num encontro com os apóstolos. Eles continuam a espalhar a sua mensagem popular, mas como eles agitam a multidão, são jogados na prisão, e depois foram salvos por um anjo. Eles imediatamente voltam ao Templo e continuam a pregação. Caifás tenta prendê-los mais uma vez e julgá-los imediatamente.

Desta vez, os Apóstolos são salvos pela figura sábia de Gamaliel, que irrita Caifás ao pedir clemência. Mas em vez da pena de morte, eles enfrentam a punição por chicotadas. Desgostoso com a punição, Estevão vai ao Templo para pregar, em violação direta da ordem de Caifás. O Sacerdócio o condena.

Quando Saulo começa a sua perseguição à igreja, Pedro sente a pressão de ter que cuidar do rebanho de Jesus. A posição de Caifás vem sob a ameaça de Antipas e sua própria família. Pedro e os Apóstolos choram por Estevão e o enterram.

 As execuções diárias de Pilatos param e a atenção retorna à ameaça causada pela crescente comunidade Cristã. Caifás está sob crescente pressão para cuidar dela a todo custo, enquanto Anás teme que Caifás que tornou-se muito impopular, se aproxime de Pilatos. Ele tenta um golpe para substituir Caifás com seu filho Jonathan. José de Arimatéia se compromete a apoiar Jonathan, mas quando Anás tenta recorrer a ajuda de Antipas, ele falha. Em vez disso Antipas aconselha Pilatos para escolher Caifás.

Pedro sente alguma responsabilidade pela morte de Estevão, mas auxiliado pelo Espírito Santo, ele encontra a força para pregar de novo em Jerusalém. Saulo decide prender aqueles que são contra para ouvir a sua pregação. Ainda assim, os números de cristãos crescem. Em última análise, Saulo é forçado a tomar medidas ainda mais extremas. Ele se junta com Caifás, que sanciona o uso da violência brutal para vencer os cristãos.

Caifás promete a Pilatos que a situação ficará sob controle. Mas em troca,  Pilatos tem de permitir que ele tome uma posição para o manter como Sumo Sacerdote. Com o trabalho de seu marido agora em segurança, Lia expulsa José de Jerusalém como vingança por sua co-participação na trama com Jonathan.

Saulo exige sua punição sobre os Cristãos, destruindo sua comunidade, queimando suas tendas. Os Cristãos fogem, mesmo assim eles ainda pregam e isso torna-se evidente que o único jogo para a brutalidade de Saulo é a sua coragem e crença.



Deixe uma resposta