Crítica The Voice Brasil: audições às cegas apresenta os melhores cantores dos realitys musicais da TV | Cabine Cultural
Crítica televisão Notícias Televisão

Crítica The Voice Brasil: audições às cegas apresenta os melhores cantores dos realitys musicais da TV

 Carol Vianna canta 'Sozinho' e garante vaga no 'The Voice Brasil' (Foto: Artur Meninea/Gshow)

Carol Vianna canta ‘Sozinho’ e garante vaga no ‘The Voice Brasil’ (Foto: Artur Meninea/Gshow)

O programa do último dia 28 de outubro comprovou que os melhores talentos anônimos da música brasileira estão no The Voice Brasil

O The Voice Brasil reinou sozinho nestes últimos anos como o único reality musical relevante da televisão aberta no Brasil, então havia muito interesse em compará-lo com outros programas do gênero, mas sim com a sua versão original, a americana (ok, o The Voice original é holandês).

Porém, com a entrada na programação do X Factor Brasil, que também tem cobertura aqui no site, começou a surgir elementos para podermos comparar e saber em que nível está o reality musical da Rede Globo. O resultado é muito claro: o The Voice Brasil possui os melhores cantores, os melhores jurados, porém a versão brasileira do X Factor vence no quesito estrutura e dinâmica, ao menos a fase em que se encontra – a das apresentações ao vivo.

+  Temperatura Máxima deste domingo exibe o ótimo Piratas do Caribe – O Baú da Morte

O The Voice Brasil, por não ser a única atração de sucesso da Rede Globo, acaba não ganhando o mesmo destaque que ele possui, por exemplo, na NBC, canal americano que exibe o mesmo show. Lá o programa acontece em dois dias da semana, as vezes três, e o primeiro, na segunda-feira, tem duas horas de duração. Para quem gosta, é um prato cheio.

O X Factor Brasil seguiu esta mesma linha, com programas duas vezes pela semana, um pré-programa, com os bastidores e discussões, e uma estrutura bem destacada, que mostra para todos que o reality é (ou era para ser) o grande trunfo da Band para este semestre. Na Rede Globo, tudo é muito corrido, não há tanto tempo para história, nem para bastidores, exceto, é claro, o conteúdo que a emissora disponibiliza pela internet, mas aqui isso não conta.

+  Leia crítica: Tela Quente desta segunda é especial e exibe o inédito A Bela e a Fera, com Léa Seydoux

Porém, se a Globo falha em não dar a importância que o reality merece em termos de estrutura e dinâmica, a mesma dá um show em saber escolher grandes candidatos, que podem tranquilamente iniciar uma carreira de sucesso a qualquer momento.

O programa da última quarta é, novamente, um bom exemplo. Desde a primeira menina, Gabriela Ferreira, uma indie meio diferentona que cantou lindamente a icônica música de Sia, Chandelier, passando pelo baiano que cantou de forma espetacular a música Gostava tanto de você, que o programa saiu atirando a todo instante talentos que teriam tranquilamente condições de vencer a primeira temporada do reality da Band.

Outro grande destaque foi Nanda Loren, que surgiu cantando em inglês, que nesta edição do reality nem vem sendo tão preponderante, o que é muito bom, pois há canções em português tão lindas quanto a maioria apresentadas em inglês pelos candidatos de realitys musicais.

+  Leia crítica: Temperatura Máxima deste domingo exibe O Espetacular Homem-Aranha

Outra que cantou lindamente em português foi Carol Vianna, que apresentou uma versão bem doce de Sozinho, linda música de Caetano Veloso.

Assim, de destaque em destaque, o The Voice Brasil exibiu o penúltimo programa das audições às cegas, e nesta quinta-feira, dia 03 de novembro, a Globo exibirá o último, e ai começaremos com as fases que realmente importam.







Deixe uma resposta