menu
Crítica X Factor Brasil top 8: as escolhas musicais que só prejudicam os cantores | Cabine Cultural
Críticas Notícias Televisão

Crítica X Factor Brasil top 8: as escolhas musicais que só prejudicam os cantores

Jenni no X Factor

Jenni no X Factor

X Factor Brasil foi ao ar nesta segunda-feira, dia 7 de novembro, pela tela da Band; apresentações foram no geral muito boas

Nesta segunda-feira, dia 7 de novembro, foi ao ar mais um episódio do X Factor Brasil, desta vez com o top 8 em edição retrô. As apresentações foram boas, mas sem nada muito marcante, o que devemos esperar a partir desta fase. A partir daqui quem gosta e assiste realitys musicais sabe que é a hora do cantor ou cantora mostrar a que veio.

Assim, ficamos com o que de melhor aconteceu na noite desta segunda.

Cristopher – Somebody to Love: ele foi de Queen, numa das músicas mais icônicas, e também clichês do mundo dos realitys musicais. Cristopher apresentou, entretanto, uma poderosa voz e impressionou bastante. A música pedia explosão, e ele ofereceu explosão. Um ótimo início.

Conrado – Alma Gêmea: a escolha por uma música de Fábio Jr. foi até acertada, pois são cantores bem parecidos, mas Di Ferrero poderia ter dado outra canção para Conrado, como 20 e poucos anos. Alma Gêmea soou bem brega, mas até que Conrado fez um trabalho competente. Sem ousar, e sem ser um candidato muito versátil, ele tem tudo para conseguir se salvar pelo voto popular. A crítica de Rick Bonadio foi bem interessante, ao falar da explosão que Conrado não possui.

Naomi – Like a Virgin: Naomi reproduziu a apresentação épica de Madonna em uma edição do VMA americano, mas com uma pegada bem rock, deixando a sua personalidade falar mais alto. Dos três primeiros cantores, ela foi a única que deixou seu DNA na música.

Miguel – Against All Odds: Di Ferrero, mesmo escolhendo um grande clássico dos anos 1980, pegou Miguel de surpresa, pois ele não conhecia a música. Menos um ponto para ele, por não conhecer este clássico. Talvez por isso ele não tenha conseguido entregar uma apresentação tão marcante. Rick Bonadio foi certeiro ao falar da necessidade dele ter cultura musical e disse ser inadmissível não conhecer Phil Collins. Só verdades.

Heloá – O Tempo Não Para: Alinne Rosa, por mais que ainda não tenha muito a acrescentar enquanto mentora, ao menos na prática, tem sido bastante bem sucedida com as escolhas que tem feito, e por conta disso a sua equipe é de longa a mais forte da competição. Heloá, entretanto, pegou uma canção grandiosa e a deixou bem leve, por causa da pegada reggae. Esta foi a parte mais fraca da apresentação, que cresceu um pouco na parte mais central da música. Heloá tem um poder vocal gigante, e deve usar a seu favor. Quando não usa, ela perde um pouco a força.

Jenni – Mr. Jones: antes de qualquer coisa, Alinne merece aplausos por ressuscitar uma das músicas mais icônicas dos anos 1990, do grupo americano Couting Crows. Porém para Jenni a escolha não poderia ter sido pior. Canção sem momentos de explosão, bem linear e sem apelo popular. Por melhor que tenha sido a intenção, o resultado foi muito ruim, e Jenni precisa de muita ajuda para passar para a próxima fase. Bola fora de Alinne Rosa. Di Ferrero fez uma ótima análise, o que foi o mais impressionante da apresentação.

Diego – Baby One More Time: a escolha de Di Ferrero para Diego foi das coisas mais óbvias, que o deixa em um circulo muito limitado, onde só há Britney, Lady Gaga e afins. Ele foi performático, mas como Rick Bonadio diz semana após semana, falta o básico para Diego: uma boa voz. Se ele já tivesse uma carreira com suas músicas originais, talvez este problema não fosse tão problemático. Mas cantando covers não é admissível ser ruim de voz. Equipara-se com Jenni como pior apresentação da noite. Rick Bonadio foi cruel, mas foi sincero. Concordamos.

Ravena – Dancin Days: eis uma escolha realmente retrô, talvez a que mais usou o tema do programa desta edição. Para um grupo, talvez tenha sido também a melhor escolha, pois dá para brincar, agitar e mostrar organicidade. Porém é uma canção já cantada por milhares de grupos, na música, no cinema, no teatro, em programas de televisão. E como a versão foi mais do mesmo, acabou não ficando marcante. Ravena ainda precisa melhorar muito, e já chegou a hora delas apresentarem algo com mais qualidades do que defeitos.

Do melhor para o pior, aqui o ranking desta semana:

1 – Cristopher – Somebody to Love
2 – Naomi – Like a Virgin
3 – Heloá – O Tempo Não Para
4 – Ravena – Dancin Days
5 – Miguel – Against All Odds
6 – Conrado – Alma Gêmea
7 – Jenni – Mr. Jones
8 – Diego – Baby One More Time

O programa ainda contou com a participação do trio italiano Il Volo.

Quarta-feira tem mais X Factor Brasil com eliminação de mais dois candidatos. Quem deverá sair?



Deixe uma resposta