Crítica Minha Mãe É Uma Peça 2: Dona Hermínia retorna aos cinemas do país | Cabine Cultural
Cinema Críticas Notícias

Crítica Minha Mãe É Uma Peça 2: Dona Hermínia retorna aos cinemas do país

Minha Mãe É Uma Peça 2

Minha Mãe É Uma Peça 2

Direção de César Rodrigues.  Roteiro de Paulo Gustavo. Elenco com: Paulo Gustavo, Mariana Xavier, Rodrigo Pandolfo, Herson Capri, Alexandra Richter, Samantha Schmütz, Suely Franco, Patrícya Travassos

Por Gabriella Tomasi

Desta vez, Dona Hermínia (Gustavo) volta como uma bem sucedida apresentadora de um programa de televisão. Rica, famosa, o filme começa com o seu dia-a-dia, no qual consiste em ir trabalhar, fazer compras, e retornar a sua casa para encontrar seus dois filhos mais novos que moram com ela: Juliano (Pandolfo) um gay e Marcelina (Xavier), agora uma aspirante atriz.

Neste contexto, apesar das gags usuais, com xingamentos gratuitos e ataques de nervos que o filme já explorava, ele consegue refinar algumas piadas e criar situações muito divertidas: Dona Hermínia tem dificuldade em aceitar as novas preferências sexuais de Juliano; Marcelina tenta alavancar sua carreira em São Paulo, o que gera surtos apenas com a possibilidade de sua filha abandonar o lar; o neto “anjo” da casa faz uma completa bagunça, muito embora os esforços da avó em tentar agradá-lo (afinal, ele é o primeiro bebê da casa, após os filhos); o modo como a protagonista interage em um jogo de “stop” com os filhos ou quando ela não consegue utilizar os novos recursos digitais do smartphone, de modo que pede ajuda ao filho, entre outros.

Leia também:  Crítica: vale a pena assistir Insubstituível, estreia da semana nos cinemas?

Assim, tudo o que sucede com os personagens é tão familiar a ponto de o espectador facilmente…Continua a leitura




Deixe uma resposta