Cobertura My French Film: Crítica Um Grande Silêncio
Cinema Notícias

Cobertura My French Film: Crítica Um Grande Silêncio

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Um Grande Silêncio

Um Grande Silêncio

Dirigido e roteirizado por Julie Gourdain. Elenco: Nina Mazodier, Sonia Amori, Clarisse Normand

Por Gabriella Tomasi

Ser mulher não foi fácil. A longa jornada histórica por busca de igualdades, direitos de voto, protestos contra o assédio, abuso sexual, atentado ao pudor. É esse o grito de guerra que meninas escondidas em um quarto escutam na rádio, desejando estar presente para enfrentar uma causa que, devido à sua situação, não é possível. Na categoria “Vida de Mulher” do My French Film Festival, este lindo curta-metragem de 30 minutos conta a história de Marianne, uma menina de 19 anos, de família rica e estruturada em 1968.

Nos primeiros minutos de projeção, percebemos a protagonista sozinha, isolada em um quarto de costas para a câmera, justamente para que aos poucos possamos descobrir o ambiente no qual ela está inserida: uma casa para garotas jovens grávidas, que assim como ela, são colocadas naquele lugar para que possam ter seus filhos escondidos e longe dos olhos preconceituosos da sociedade. Afinal, estamos lidando com uma época, na qual a reputação era importante e a sexualidade livre da mulher era um tabu duramente reprimido, a gravidez fora do casamento era um pecado. Dessa forma, pouco importa se ela foi vítima do estupro ou foi por mero prazer ou por uma ilusão de um amor perfeito: o repúdio é o mesmo.

Neste contexto, longe de ser uma “casa de férias”, na qual as meninas possam ter uma gravidez tranqüila, elas são submetidas, ao invés disto, a um regime que se assemelha à uma prisão, reforçando o caráter pecaminoso, quando não admite contato com os bebês contrariando a vontade da mãe, ou quando fazem trabalhos as vezes cansativo pelo peso da barriga, ou quando… continua a leitura


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta