Colin Farrell e Rachel Weisz - Crítica O Lagosta: uma obra maravilhosa | Cabine Cultural
Cinema Críticas Notícias

Colin Farrell e Rachel Weisz – Crítica O Lagosta: uma obra maravilhosa

O Lagosta

O Lagosta

Dirigido por Yorgos Lanthimos. Roteirizado por Efthimis Filippou, Yorgos Lanthimos. Elenco: Colin Farrell, Rachel Weisz, Jessica Barden, Olivia Colman, Ashley Jensen, Ariane Labed, Angeliki Papoulia, John C. Reilly, Léa Seydoux, Michael Smiley, Ben Whishaw

Por Gabriella Tomasi

Essencialmente, nós somos humanos que sempre buscamos alguém para compartilhar a vida. A busca pelo amor faz parte não somente do nosso cotidiano, mas também é um gênero do cinema específico e bastante sólido que atrai as pessoas e as cativa. E quem não se identifica ou se emociona com uma boa história de amor? Até quem lhes escreve agora. Em uma sociedade cada vez mais individualista, contudo, o cineasta grego Yorgos Lanthimos aproveita para trazer um maravilhoso estudo e uma crítica sobre as relações humanas.

Leia também:  Scarlett Johansson - Crítica A Vigilante do Amanhã: Ghost in the Shell

Dentro de um mundo surreal e despótico, pessoas são ensinadas de como ser solteiro é perigoso: mulheres podem ser estupradas, homens podem morrer sem um cuidado de um parceiro. Dessa forma, são obrigadas a ter um companheiro (por sinal, ou você é hetero, ou homossexual e não pode ser bissexual), o que inclusive é monitorado pela polícia: se você se encontra sozinho em algum lugar, você é fiscalizado.

David (Farrell), recém abandonado pela esposa, é levado da cidade até um “hotel” em um lugar retirado que recebe outros solteiros e deve, em 45 dias, achar alguém para casar e voltar para a cidade. Há maneiras de estender a estadia, como, por exemplo, atirar dardos em solteiros que vivem em uma floresta perto dali, mas caso não encontre ninguém até o fim do período mencionado… continua a leitura


Deixe uma resposta