Estreia em julho: 5 motivos para assistir a Transformers: O Último Cavaleiro | Cabine Cultural
Cinema Notícias

Estreia em julho: 5 motivos para assistir a Transformers: O Último Cavaleiro

Transformers: O Último Cavaleiro

Transformers: O Último Cavaleiro

Prometendo muitas coisas boas, aqui listo cinco motivos pelos quais você deverá conferir Transformers, totalmente sem spoilers

Por Gabriella Tomasi

Este mês o Ícone do Cinema em parceria com o Cabine Cultural teve a oportunidade de assistir a vinte minutos do novo filme e quinta sequencia do diretor Michael Bay – Transformers: O Último Cavaleiro (Transformers: The Last Knight)– que esteia dia 20 de julho no Brasil.

De acordo com a sinopse oficial, o filme se trata do gigante Optimus Prime que embarcou em uma missão de encontrar, no espaço sideral, os Quintessons, seres que possivelmente são os responsáveis pela criação da raça Transformers. Enquanto isso, uma nova ameaça alienígena possibilita destruir toda a humanidade na Terra.

Fato é que a franquia teve um sucesso enorme de bilheteria durante os anos, mas perante a crítica especializada fracassou muitas vezes. Porém, após esta sessão, o longa deixou muitas boas impressões para os críticos e jornalistas que compareceram. Prometendo muitas coisas boas, aqui listo cinco motivos pelos quais você deverá conferir Transformers, totalmente sem spoilers:

Leia também:  Crítica Cinquenta Tons Mais Escuros: é bom, ruim ou péssimo?

1º: A TECNOLOGIA 3D E IMAX
Embora a sessão tenha sido exibida inteiramente em 2D, o diretor da franquia Michael Bay explica inicialmente que apostou na tecnologia de ponta. Os melhores recursos foram empregados para garantir a melhor experiência Transformers nos cinemas à audiência. Dessa forma, pela primeira vez, Bay utiliza com exclusivas câmeras em IMAX 3D nativa para imprimir maior profundidade e maior detalhe nas cenas de ação. Dois aparatos, portanto, são utilizados para filmar as tomadas ao mesmo tempo, a fim de captar todos os ângulos e cantos possíveis do quadro.

Assim sendo, percebemos que a produção está investindo pesado para trazer a melhor qualidade cinematográfica possível, o que já nos deixa instigados a conferir o resultado.

2º A MITOLOGIA TRANSFORMERS
Diferentemente das outras sequencias, Michael Bay também informa que escalou quatorze roteiristas para trabalharem, separada e individualmente, em diferentes histórias. O diretor brincou que cada filme Transformers é executado com tanta dedicação que trata cada projeto novo como se fosse o último, mas tampouco informou se a quinta franquia será realmente a última ou se ele utilizará as outras treze histórias que descartou. Talvez só o tempo dirá.

Leia também:  Crítica Logan: Wolverine e o fim de um ícone da Marvel nos cinemas

De todas as formas, ele escolheu um dos roteiros apresentados que mais lhe agradou. Mesmo com o mesmo humor Transformers de sempre que funcionará para quem é fã da franquia desde o início, a trama então se revela focar em torno da exploração da mitologia dos Transformers e como os robôs influenciaram a história mundial. Desde uma batalha medieval que apresenta Rei Arthur, Lancelot e Merlin onde dragões robóticos sobrevoam o cenário, até alguns breves momentos onde robôs batalham durante a Primeira e Segunda Guerra Mundial, reforçando a sua participação e influência nos principais embates históricos da humanidade.

Transformers O Último Cavaleiro

Transformers O Último Cavaleiro

3º O TEMPO PRESENTE: A AMEAÇA DE UMA NOVA GUERRA
Anthony Hopkins interpreta Sir Edmund Burton. Residente de um castelo que foi construído no mesmo local onde ocorreu a Távola Redonda, ele recruta Cade interpretado por Mark Wahlberg e Vivien Wembley vivida por Laura Haddock, uma intelectual formada em Filosofia e Letras (“que se veste como uma stripper” de acordo com as palavras de Cade) que possivelmente será o par romântico do protagonista. Em uma reunião, Burton explica muitos fatos da trama aos personagens, no qual ele revela ser um dos últimos dos Witwickens ainda existentes.

Leia também:  Crítica: por que Punho de Ferro foi um fracasso desastroso? (1ª Temporada)

Porém, o que chamou a atenção é a guerra declarada entre humanos e os Autobots em um ambiente quase distópico dos cenários futurísticos, no qual contém cartazes de propaganda de ódio e inimizade. Bumblebee e Optimus Prime são os principais alvos.  Em uma das cenas a menina Izabella, interpretada pela jovem Isabela Moner, surge com seu robô chamado Sweeks para salvar alguns garotos que correm perigo de vida. Nesta oportunidade, surgem pela primeira vez, Bumblebee e Cade que tentam ajudá-los a escapar do local para sobreviver ao ataque. Cade e Izabella possívelmente serão bastante importantes da trama, principalmente este primeiro que é nomeado o “escolhido”.

Josh Duhamel retorna como o Tenente-coronel William Lennox e apareceu rapidamente em contato com Cade.

4º O CONFRONTO ENTRE OPTIMUS PRIME E BUMBLEBEE…Continua a leitura


Deixe uma resposta