Crítica Elon Não Acredita na Morte: há uma ausência de substância | Cabine Cultural
Cinema Críticas Notícias

Crítica Elon Não Acredita na Morte: há uma ausência de substância

Elon Não Acredita na Morte

Elon Não Acredita na Morte

Direção por Ricardo Alves Jr. Roteiro por Ricardo Alves Jr., Germano Melo, João Salaviza and Diego Hoefel. Elenco: Rômulo Braga, Clara Choveaux, Lourenço Mutarelli, Grace Passô, Germano Melo

Por Gabriella Tomasi

Passando por vários festivais de cinema em 2016, chega finalmente em 2017 para as telas do cinema brasileiro o novo longa-metragem dirigido pelo mineiro Ricardo Alves Jr, que nos conta a história de Elon, interpretado por Rômulo Braga, um homem angustiado que está à procura insaciável de sua esposa, Madalena (Choveaux), a qual supostamente se encontra desaparecida.

Esta é uma história que possui uma premissa simples e interessante e em muitas vezes é eficaz no que se propõe. Filmado de maneira subjetiva, acompanhamos os passos e os caminhos percorridos pelo protagonista em busca de respostas pelo sumiço: entra em contato com amiga e a irmã de sua amada e até certo ponto chega ir à polícia registrar um boletim de ocorrência. Sempre caminhando de costas para a quarta parede, o diretor imprime perfeitamente a sensação de agonia e claustrofobia dos caminhos dos corredores estreitos, extensos e quase labirínticos dos locais por meio de longos planos e planos-sequencia. Os ambientes são pouco iluminados ou bastante escuros, e a paleta fria é mantida mesmo em cenários mais claros. Assim, claramente vemos que Elon se encontra perdido, quase desamparado em meio à uma metrópole suja, pobre e decadente, e sua impotência em relação ao mundo é ressaltada igualmente pelo fato de o personagem-título raramente encarar a câmera…Continua a leitura




Deixe uma resposta