Donnie Darko e suas leituras | Cabine Cultural
Cinema Destaque Notícias

Um dos maiores filmes da década: Donnie Darko e suas leituras

Donnie Darko

Donnie Darko

“Alguns conceitos físicos são colocados em questão no filme. Um deles são os conhecidos buracos de minhoca. Elas seriam as responsáveis pelas distorções no espaço-tempo”

Por Kaio Emmanuel

Em rodas de conversas cinéfilas, Donnie Darko sempre é citado como um filme inexplicável. Isso se dá pelas dificuldades em explica-lo sob somente um ponto de vista racional. Há nele várias leituras possíveis. Lançado em 2001, a película traz alguns preceitos que o tornaram estudo de caso para seus admiradores. O roteiro escrito e dirigido por Richard Kelly é inteligente, e deixa aberto, de fato, várias reflexões em torno de assuntos atuais e curiosos. Torna-se, dessa maneira, atemporal. Ao colocar a trama dentro de um universo colegial, trazendo seu protagonista como um adolescente, despertou também o interesse de uma grande parcela de cinéfilos, que se fascina até hoje pela história.

Na primeira cena, temos uma visão do adolescente deitado no meio de uma pista. Desmaiado? Dormindo? Logo saberemos que ele sofre de sonambulismo, e não raro, acaba saindo no meio da noite e acordando nos lugares mais estranhos. Ele retorna à sua casa, e percebemos que tem dificuldades de comunicação com sua família. Seus pais o tratam bem, parecem estar sempre ao seu lado. No entanto, cria-se entre eles uma barreira perceptível. O relacionamento dele com as irmãs também é distante. Apesar de amparado, ele começa a ter um comportamento cada vez mais rebelde.

Alguns fatos estranhos começam a aparecer em sequência. Uma turbina de avião cai inexplicavelmente em sua casa no meio da noite. Atacado pelo sonambulismo, ele escapa da morte. Donnie passa a ter visões com um coelho gigante de dois metros de altura. O coelho lhe revela que o mundo acabará em vinte e oito dias, e que tarefas a serem cumpridas. Seguindo os conselhos, o jovem inunda escola após estourar o cano central, provocando vários estragos. Passa a praticar outros atos de vandalismo, como queimar a casa do criador do método Cunningham. Todos ficam sem entender.  Em meio ao turbilhão de transformações, o rapaz conhece a jovem Gretchen, um alívio temporário para todas as mudanças. Os dois se apaixonam. Parece ser o único elo dele com a realidade.

Donnie Darko

Donnie Darko

Alguns conceitos físicos são colocados em questão no filme. Um deles são os conhecidos buracos de minhoca. Elas seriam as responsáveis pelas distorções no espaço-tempo. Nas visões, Darko verifica que eles são projetados do peito das pessoas ao seu redor. É como se ela obedecessem ao comando deles. Esses buracos possibilitariam as viagens no tempo e um loop. Alterações no espaço, seriam possíveis se mudanças substanciais fossem verificadas. Segundo o próprio diretor, há também claras inspirações em pensamentos de escritores como Stephen King e Kafka.

O personagem tem problemas psicológicos. Algumas teorias apontam-no como esquizofrênico, que, segundo o blog do site Telavita, seriam pessoas que teriam uma dissociação da ação e do pensamento. Isso causaria distúrbios como delírios e alucinações. Além disso, ele sofre também de ansiedade e constante estado de melancolia, passando por constantes sessões de terapia.

De fato é um filme que traz a reflexão sobre diversos temas, e traz aberturas para interpretações variadas. O tom místico, aliado à explicações sobre física e referências bíblicas, tornam-no um dos maiores filmes da década.

Kaio Emmanuel é estudante de Publicidade da Universidade São Judas Tadeu (SP)

Deixe uma resposta