Crítica A Cabana: Deus está ao lado de Stuart Hazeldine | Cabine Cultural
Cinema Críticas Notícias

Crítica A Cabana: Deus está ao lado de Stuart Hazeldine

A Cabana

A Cabana

“Se você é uma pessoa religiosa, não importando qual o credo, mas com a mente aberta para uma bela história, você não pode perder este filme”

Por NoSet

Com um orçamento de US$ 30 milhões, Stuart Hazeldine é um novíssimo diretor de cinema, com pouquíssima bagagem, mas teve a sorte de ter um elenco de primeira, um roteiro simples e delicioso de se trabalhar em uma história dramática com uma tristeza e uma beleza de ser contada que impressiona a plateia adulta. Tudo bem, dramas como esse terminam normalmente de forma açucarada e sem graça, com uma fórmula por demais gasta e abusada no cinema e nos livros de espiritismo, mas é justamente por não ser assim que o filme se destaca, trabalhando medos e dúvidas que todo ser humano passa em algum momento de sua vida de forma normal e corrigueira, afinal não julgamos tanto quanto somos julgados.

Leia também:  Crítica: vale a pena assistir Insubstituível, estreia da semana nos cinemas?

No elenco Sam Worthington está muito bem fora de seu personagem de costume. Worthington, mais acostumado com Fúria de Titãs e Avatar, filmes de ação e violência, como Terminator,  faz um pai duro e destruído pela perda familiar e convence bem no papel do começo ao fim, principalmente na parte religiosa trabalhando o ódio e a culpa de maneira severa e real. Octavia Spencer, de Estrelas Além do tempo, nasceu para ser Deus e o faz de maneira sublime, com lições lindas de vida e uma atuação que comprova sua qualidade…Continua a leitura




Deixe uma resposta