Saiba o que é preciso para começar a carreira de DJ | Cabine Cultural
Notícias

Saiba o que é preciso para começar a carreira de DJ

Como começar a carreira de DJ?

Como começar a carreira de DJ?

 

“É muito comum que o DJ em início de carreira faça apresentações em festas privadas, como aniversários e casamentos”

Você é fissurado em EDM, conhece todos os DJ do momento, e acorda num belo dia e resolve: vou ser DJ! Aí bate aquela dúvida: o que será que eu preciso para seguir essa carreira?. Além de talento, muita prática e força de vontade, certamente você vai precisar de uma boa aparelhagem de som para começar. Abaixo, listamos os principais equipamentos para quem quer se lançar na carreira. Confira.

O equipamento para DJ é a principal preocupação daqueles que querem se aventurar na carreira. No entanto, antes de sair comprando por aí, é preciso escolher o tipo de mídia com que se quer trabalhar: digital ou analógico. O mercado oferece três opções que atendem dos DJs iniciantes aos profissionais mais renomados do cenário.

Tudo no computador
Para os DJs de primeira viagem, o melhor é optar por um equipamento digital. E não vá pensando que precisa comprar muita coisa para mandar seu setlist em festinhas por aí. Com um computador, uma boa coleção musical e uma bateria de softwares especializados em som, já é possível começar o trabalho.

Entre os programas mais importantes, estão softwares profissionais usados para reprodução, mixagem, produção, edição e montagens ao vivo. Para reprodução de música ambiente, são indicados o Foobar, o Winamp e o The KMPlayer. Na hora de mixar faixas, o Atomix MP3, o Traktor DJ, o Kramixer e o Virtual DJ podem ajudar. Diversos programas como Sony Acid Pro, Adobe Audition, Expstudio Audio Editor, Acid Xpress, Fruity Loops, Sound Forge e Wavosour são usados para produção e edição. O sampleamento fica por conta do BPM Studio, que simula aparelhos como Akai MPC5000 e M-Audio Trigger Finger.

Reprodutores para discotecagem
Quem quiser investir um pouco mais, pode procurar por equipamentos de discotecagem analógicos, digitais ou mistos, disponíveis no mercado e em várias marcas. A opção mais em conta é o CDJ, a variação digital da discotecagem original feita com long plays de vinil. O CDJ é um reprodutor de música com entrada para CD e pendrive. O mercado oferece diversos modelos, com variados recursos. Equipamentos mais básicos são, obviamente, mais baratos que os aparelhos de ponta. Entre as marcas mais procuradas estão a Pioneer e a Denon.

Outro tocador de músicas é o clássico toca discos, para LPs de vinil. É o tipo de reprodutor de músicas mais caro do mercado, mas impõe muito respeito e mostra que o DJ não está começando agora. Demanda tratamento especial, pois deve ser manuseado com cuidado, graças à fragilidade dos discos e das agulhas. Aparelhos da Technics estão na ponta, seguidos por marcas como Stanton, Gemini, Numark e Vestax.

A tecnologia tem ajudado muito o trabalho dos DJs e, atualmente, é possível encontrar no mercado versões mistas de analógico com digital. Trata-se de toca discos conectados a computadores, por meio de placa de som, de modo que, com a discotecagem manual, manipula-se as músicas tocadas no computador.

Como ser um DJ?

Como começar a trabalhar como DJ?

E as controladoras?
As controladoras são equipamentos que também funcionam como reprodutores de músicas, integradas a computadores por meio de softwares e aplicativos específicos para DJs. O aparelho não é dos mais caros, os mais baratos ficam em torno de R$ 300, e pode ser útil no início de carreira. As controladoras costumam ser um pouco controversas entre os DJs profissionais, mas têm seu espaço entre aqueles que gostam de se divertir.

Efeitos e mixagens
Aplicar efeitos nas músicas em tempo real é uma prática muito comum entre os DJs. Para isso, os profissionais apostam em processadores de efeitos. O resultado é um setlist customizado que pode ser controlado conforme a empolgação da pista. A Pioneer lidera o mercado de processadores de efeitos usados profissionalmente.

A mixagem funciona equalizando as saídas de áudio de cada canal, durante a discotecagem. Para garantir o controle ideal de graves, agudos e sons médios, é preciso ter um mixer. O mercado oferece diversos modelos, com muitas especificidades, inclusive efeitos embutidos, controle de até quatro canais e botões de ajuste para ganho de áudio. As controladoras já possuem mixer embutido, mas para aqueles que vão atacar de DJ com CDJs ou toca discos, é essencial o uso do mixer externo.

A importância dos Headphones para DJs
Os fones de ouvido ou headphones são os equipamentos mais estilosos dos DJs. É uma ferramenta de trabalho que, além de ser indispensável, mostra a que o DJ veio. Em termos práticos, o fone serve para proporcionar áudio bom e ambiente confortável. É com ele que o DJ escuta a próxima música a ser tocada e prepara a transição de uma batida para outra.

No mercado, as opções são muitas, de todos os preços, mas a escolha precisa ser bastante pessoal. Um headphone bom para um DJ pode não atender tão bem a outro profissional. Em termos gerais, o fone deve proporcionar no mínimo 105db, com frequência entre 5hz e 25khz. Há fones mais precisos e sensíveis, outros robustos e estilosos. Entre as marcas que se destacam estão Sony, Pioneer, Technics, Ultrasone, Sennheiser, AKG, Denon e German.

Diferencial bacana
É muito comum que o DJ em início de carreira faça apresentações em festas privadas, como aniversários e casamentos. Um ótimo diferencial é oferecer mais estrutura além da aparelhagem de som, como trabalhar também com luz e cenografia. Há diversas opções de produtos de iluminação para DJ e festas a preços baixos. Invista e corra atrás do seu ideal.

Deixe uma resposta