Crítica: Mulher do pai é um filme sensível e extremamente comovente | Cabine Cultural
Cinema Críticas Notícias

Crítica: Mulher do pai é um filme sensível e extremamente comovente

Mulher do pai

Mulher do pai

Dirigido e roteirizado por Cristiane Oliveira. Elenco: Maria Galant, Marat Descartes, Verónica Perrotta, Amélia Bittencourt, Áurea Baptista, Fabiana Amorim, Jorge Esmoris, Liane Venturella, Diego Trinidad

Por Gabriella Tomasi

Mulher do pai é um longa brasileiro executado pela Cristiane Oliveira, em que acompanhamos a vida de Nalu (Galant) e seu pai Ruben (Descartes) em uma cidade do interior do Rio Grande do Sul, próximo à fronteira do Uruguai. A convivência entre ambos no início é distante mas é confortável pela presença da avó e mãe na casa. Quando esta morre, os dois personagens devem descobrir como conviver um com o outro.

Isto porque o relacionamento de pai e filha parece ter se desgastado há muito tempo e sua avó parecia ser a figura que segurava de forma estável esse pilar entre os dois personagens. Não é à toa, inclusive, que ambos são posicionados na câmera um em cada lado oposto da porta, mas em linha reta, demonstrando a distância e também o trabalho em conjunto que deve se estabelecer, pois Nalu é ainda uma adolescente descobrindo sua identidade, liberdade e sexualidade, enquanto Ruben – cego – se torna ainda mais depende da filha para as tarefas mais básicas ao mesmo tempo em que busca recuperar o tempo perdido. Neste contexto, é visível a carência comum entre ambos, pois Nalu deseja sempre se libertar e sair do interior para a cidade grande, idealizando e romantizando cada oportunidade que lhe aparece para se desprender daquele lugar como, por exemplo, imaginando se o amor de um uruguaio ou a amizade de sua professora e melhor amiga poderão levá-la para longe. Ruben, por sua vez, também sofre com o mesmo sentimento se dando…Continua a leitura

UCI OrientCinemas

Deixe uma resposta