Crítica: por que Michele merece ir a final do MasterChef? | Cabine Cultural
Crítica televisão Notícias Televisão

Crítica: por que Michele merece ir a final do MasterChef?

Os três semifinalistas Deborah, Valter e Michele

Os três semifinalistas Deborah, Valter e Michele

Candidata foi uma das que obteve menos destaque durante a temporada, porém cresceu bastante nas últimas provas (semanas) do programa

O MasterChef desta terça, dia 15 de agosto, define os dois candidatos finalistas desta temporada, e temos três bons participantes, cada um merecendo ir a final por seus motivos específicos.

A primeira que iremos analisar é a que menos se destacou na temporada (ao menos entre os três semifinalistas): Michele. E buscaremos responder a pergunta: por que Michele merece ir a final do MasterChef?

Mas antes de qualquer coisa, vamos conhecer mais ela:

Michele Crispim, de 28 anos, nasceu em Florianópolis, em Santa Catarina e é formada em Gestão de Pessoas. Morou em países como Rússia, Japão, Turquia e foi viajando que aprendeu a cozinhar. Sente grande identificação com a gastronomia francesa e acredita que chegar à perfeição, cozinhando os clássicos, não é para qualquer pessoa. Frequenta bons restaurantes e tem o costume de conversar com chefs de cozinha ao final de cada refeição para pedir dicas das receitas que acabou de comer.

Agora vamos aos motivos que fazem de Michele um ótimo nome para a final.

Feira de Adoção Cães e Gatos
Michele MasterChef

Michele MasterChef

Em primeiro lugar, a trajetória dela no programa se assemelha muito a de Leonardo, campeão da última edição de amadores. Sem muito destaque no início da temporada, ela amargou pratos somente medianos e poucas vezes ela era incluída no grupo de destaques. Nem positivo e nem negativo. Para o programa, este é o pior tipo de candidato: aquele que passa despercebido, que ninguém lembra e que sair ninguém sentirá falta.

Tal como Leonardo, aos poucos ela foi encontrando o seu lugar no programa, foi crescendo, foi ganhando destaque até que nas edições finais do programa se revelou uma forte candidata ao título, mostrando ter um repertório vasto e que assim pode ser uma Chef num futuro próximo. Como ela mesma disse, ela não vai crescer assim que o programa acabar, ela já cresceu durante o programa.

Tal como Leonardo, Michele ganhou a admiração do público e dentre os finalistas é a que tem mais fãs e torcedores. E por que isso? Bem, ai iremos ver uma mistura de competência culinária, mas sobretudo, de questões comportamentais.

Michele, diferente de Deborah e de Valter, os outros semifinalistas, e diferente de uma boa parte dos participantes desta temporada, se meteu em um número mínimo de problemas e se envolveu em pouquíssimas polêmicas. Não que ela seja santa, mas a sua postura, comparada aos demais, é de mostrar respeito aos outros cozinheiros, e de respeitar a opinião dos jurados, o que Deborah e Valter não conseguiram fazer nesta temporada.

Então como resumo: Michele merece ir à final por ter tido uma trajetória parecida com a de Leonardo, vencedor da última edição, por ter crescido no momento certo e por ter uma personalidade que a faz ser admirada por todos, jurados e público do programa.

 

UCI OrientCinemas

Deixe uma resposta