Edição revisada do livro que aborda a trajetória e as memórias da atriz Ruth de Souza será lançada na Bienal Internacional do Livro
Bienal do livro Cultura pop e ETC Literatura Notícias

Edição revisada do livro que aborda a trajetória e as memórias da atriz Ruth de Souza será lançada na Bienal Internacional do Livro

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Coluna da jornalista Úrsula Neves sobre tudo que acontece no universo da cultura pop

Edição revisada do livro que aborda a trajetória e as memórias da atriz Ruth de Souza será lançada na Bienal Internacional do Livro

Com mais de 70 anos de carreira, a atriz Ruth de Souza é um dos ícones da dramaturgia nacional. Mais do que isso: a trajetória marcante da atriz abriu portas para os artistas negros no cenário artístico brasileiro. E um pouco dessa história pode ser conferida no livro “Uma Estrela Negra no Teatro Brasileiro: Relações Raciais e de Gênero nas Memórias de Ruth de Souza”, de autoria de Julio Claudio da Silva, Doutor em História Social e professor adjunto da Universidade do Estado do Amazonas. A obra, publicada pela UEA Edições, e lançada em setembro de 2015 ganhou uma edição revisada – com mais fotos e prefácio de Lázaro Ramos –  será lançada na XVIII Bienal Internacional do Livro, no Rio de Janeiro, no próximo dia 2 de setembro.

Hoje com 96 anos, a carioca Ruth Pinto de Souza iniciou a carreira nos palcos. E foi na Cia Experimental do Negro que transformou o sonho de menina de ser atriz em realidade. Em 1945, ela  foi a primeira atriz negra a se apresentar no palco nobre do Theatro Municipal do Rio de Janeiro, com o espetáculo O Imperador Jones. Depois ganhou uma bolsa e passou um ano estudando e se aprimorando na Universidade de Harvard  e na Academia Nacional de Teatro Americano, nos Estados Unidos. Daí para a frente, não parou mais: foram mais de 40 novelas, 33 filmes e dezenas de peças. Ruth foi a primeira protagonista negra da TV Brasileira, em A Cabana do Pai Tomás (1969). Também foi a primeira brasileira a concorrer ao Leão de Ouro, no Festival de Veneza, por sua atuação no filme Sinhá Moça (1953).

Uma Estrela Negra - Foto de Edmilson Saldanha

Uma Estrela Negra – Foto de Edmilson Saldanha

Foi justamente esse pioneirismo, no aspecto da luta contra o racismo, que chamou a atenção do professor Julio Cláudio, que fez deste aspecto da trajetória de Ruth de Souza, o ponto principal de sua tese de doutorado.  “Dentro do propósito das universidades, de identificar a contribuição do negro na formação cultural do Brasil, e dentro do contexto da cultura do racismo , o livro enfoca esse teatro que surgiu para denunciar o racismo e abrir espaço para o artista negro. E Ruth de Souza tem importância ímpar nessa história”, conta o professor.

O livro não é uma biografia. Mantém o foco entre os anos de 1945 a 1952, período em que a atriz ingressa no Teatro Experimental do Negro até seu retorno dos EUA. Em sua primeira parte, a obra aborda a memória pública Ruth de Souza, analisando entrevistas que a atriz concedeu , inclusive para o MIS (Museu da Imagem e do Som) e para a produção da biografia Ruth de Souza: A Estrela Negra . Em sua segunda parte, aborda o acervo que a própria Ruth de Souza colecionou ao longo da carreira. São recortes com reportagens, críticas e registros dos trabalhos e prêmios conquistados

O autor de Uma Estrela Negra no Teatro Brasileiro: Relações Raciais e de Gênero nas Memórias de Ruth de Souza destaca ainda que, além do mérito profissional nas conquistas de Ruth de Souza, não há como dissociar toda a história da artista das questões raciais e de gênero: uma grande atriz negra e mulher.  Componentes que tornam ainda mais especial a trajetória dessa grande dama da dramaturgia nacional.

SERVIÇO
Livro Uma Estrela Negra no Teatro Brasileiro: Relações Raciais e de Gênero nas Memórias de Ruth de Souza
Data: 02/09
Horário: 15 horas
Local: Stand da ABEU – Associação Brasileira de Editoras Universitárias – RioCentro – Pavilhão 03 – Azul – H09/104
Endereço: Rua Salvador Allende 6555 – Barra da Tijuca – RJ

Jornalista carioca, 40 anos, mãe do Heitor de 4 anos. Gerente de Conteúdo do Digitais do Marketing. Coordenadora de Projetos de Conteúdo da Web-Estratégica. Responsável pela Coluna Mãe 2.0 Beta do site Feminino e Além. Adora ler, assistir séries pelo Netflix, ir ao cinema e teatro, navegar pela internet e viajar acordada ou dormindo. No Cabine Cultural possui a coluna Cultura Pop e ETC… sobre tudo que acontece no universo da cultura pop.


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta