Crítica “Os Guardiões”: bom, ruim, ótimo ou um desastre?
Cinema Críticas Notícias

Crítica “Os Guardiões”: bom, ruim, ótimo ou um desastre?

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Os Guardiões

Os Guardiões

“Nada que já não tenhamos visto e ainda melhorados, mas um urso meio Hulk, foi a assinatura: Não queremos ter nada inédito”

Por Feminino e Além

Definitivamente não dá para enrolar na mente “Os Guardiões” com “Os Vingadores” ou “Esquadrão Suicida” ou (ainda) “Guardiões da Galáxia”. Apesar de não ser nadinha fã dos meninos da Galáxia, este filme russo é um omelete de todos os que citei, caindo mais um pouco para o espaço de Peter Quill ou Yondu.

Catástrofe ainda não é o adjetivo correto para este filme russo. Aliás, fora um ou outro, me cite um filme de lá que valha à pena? Pensou e não achou, correto? Este segue o mesmo caminho. A sinopse oficial: “Em plena Guerra Fria, uma organização secreta chamada “Patriota” recrutou um grupo de super-heróis russos, modificando o DNA de quatro indivíduos, com o objetivo de defender o país de ameaças sobrenaturais. Arsus, Khan, Ler e Xenia representam os diferentes povos que compõem a União Soviética, e mantêm suas identidades bem guardadas para, também, não expor aqueles que têm a missão de proteger.”

Os atores são algo como “péssimos”. A major Elena Larina (Valeriya Shkirando), disparada, é a PIOR em cena. Onde tudo é ruim, nada se salva. Um urso com uma metralhadora, gente?! Me jure! Pois é, nesta telona que estreia quinta que vem, tem! Os super poderes dos caras, nem são tão ruins…Continua a leitura


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta