Crítica Os Defensores: vale a pena assistir a 1ª temporada da série da Netflix/Marvel?
Notícias Séries

Crítica Os Defensores: vale a pena assistir a 1ª temporada da série da Netflix/Marvel?

  •  
  •  
  •  
  •  
Os Defensores

Os Defensores

“Jessica Jones com a paleta extremamente fria simboliza seu caráter; O Demolidor lida com um dilema entre diferentes tipos de justiça tão bem representados pelos tons de vermelho e; Punho de Ferro enfrenta o submundo em uma coloração esverdeada”

Por Gabriella Tomasi

Com uma ótima ideia, a princípio, a Marvel lançou as séries de alguns heróis de sua marca que estariam mais próximos de sua audiência: no conforto do seu lar pela plataforma Netflix. Mas o caminho foi longo nestes últimos dois anos, já que contando com produções extremamente irregulares, o trabalho poderia ter amadurecido com o tempo se tivesse dado atenção à crítica especializada, a qual clamava por resultados melhores e mais convincentes. Por muito tempo, a série Os Defensores que juntaria os personagens Luke Cage (Mike Colter), Jessica Jones (Krysten Ritter), Matthew Murdock de Demolidor (Charlie Cox) e Danny Rand de Punho de Ferro (Finn Jones) já era bastante esperada após cada um protagonizar suas temporadas solo. Ocorre que, mesmo com a baixa expectativa de algum refinamento da qualidade cinematográfica, entrega-se mais um série rasa com seu potencial completamente desperdiçado. Os Defensores, portanto, não consegue se redimir dos desastres anteriores.

Leia+  Murilo Benício vai dirigir versão brasileira da premiada série Doctor Foster

Na realidade, há de se reconhecer alguns pontos que enriquecem e contribuem para a narrativa: a montagem que alterna de um herói para outro, apesar da ordem que jamais deixar de ser obedecida, consegue dar conta da história de todos os personagens e estabelecer a identidade de cada um deles. Já no episódio piloto, há encadeamento de narrativas bastante coerentes e lógicas que conduzem até o encontro do quarteto. As cores para diferenciar cada mundo são bastante eficientes: Luke Cage tem cores amarelas exaltadas e cores mais quentes que representam o retorno à vida com sua amada…Continua a leitura

Sobre o autor

Gabriella Tomasi

Gabriella Tomasi

Gabriella Tomasi é crítica de cinema, graduanda em letras, membro do coletivo de mulheres críticas de cinema – ELVIRAS, e possui o blog Ícone do Cinema

Deixe uma resposta