Crítica: o "MasterChef Profissionais" está cansativo? | Cabine Cultural
Crítica televisão Notícias Televisão

Crítica: será que o “MasterChef Profissionais” está cansativo?

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
  •  
MasterChef Profissionais

MasterChef Profissionais

A questão vai além e reflete a saturação da franquia MasterChef no Brasil; exibido pela Band, o programa emendou uma temporada com outra este ano

A edição desta última terça, dia 10 de outubro, do reality “MasterChef Profissionais” abriu brecha para uma reflexão bem pertinente: será que a franquia MasterChef, e a edição de profissionais, está perto do fim? Mas não do fim de sua temporada, e sim do fim de sua existência.

Tudo bem, a franquia ainda é a melhor e mais agradável da televisão aberta no Brasil, mas após a Band, que exibe na rede aberta, emendar duas temporadas, uma sobre a outra, ficou esta impressão de que o programa está cada vez mais previsível e cansativo.

E sim, um dos responsáveis por isso é a própria emissora, que vendo que o programa lidera a audiência do canal, sobretudo nas redes sociais, não quer ‘largar o osso’, como diria aquele ditado popular. Vale destacar que este é um problema que vive a todo instante programas como o The Voice, principalmente o americano, e outros realities. A Rede Globo busca ao menos blindar a sua maior receita publicitária, o BBB, ao exibir uma vez somente por ano. Ainda assim, com todo este cuidado, a sensação que temos é que o principal reality do país também está saturado e muito cansativo.

Não que a era dos realities e programas de competição tenham chegado ao fim. O próprio MasterChef Profissionais, com todas estas questões, continua sendo uma ótima e divertida opção para as noites de terça na rede aberta. Porém, sem ser muito nostálgico, e já sendo, o clima passado nas duas primeiras edições do programa era infinitamente superior as demais temporadas. O mesmo vale para o BBB, para A fazenda, e para outros realities.

Esta sensação é normal, mas achávamos que com o MasterChef seria diferente. Porém, como mesmo destacamos, a emissora ajudou a tornar o programa mais cansativo. E a produção também teve a sua parcela de culpa. Os jurados, idem. A cada temporada ficamos com a impressão de que um candidato está sendo protegido, ou que eles, a produção, tem ideia do que acontece fora. Nas redes sociais, já é visível o descontentamento do público do programa.

O MasterChef Profissionais chegou nesta semana ao top 8 da temporada. Presumindo que ainda teremos o programa que vai trazer um candidato de volta, teremos ainda 9 programas em 2017, e se a produção não trabalhar muito, corremos o risco real de cansar do melhor programa atualmente da rede aberta no país. O título, que parece pomposo, para a rede aberta nem tem tanto valor assim, afinal de contas, a programação gratuita de televisão no Brasil é de péssimo gosto.

Assim fica fácil o MasterChef Profissionais mesmo com seus problemas dominar tudo.


Deixe uma resposta