'Dedo na Ferida', de Silvio Tendler, leva o troféu de melhor documentário pelo Juri Popular do Festival do Rio
Cinema Cultura pop e ETC Notícias

‘Dedo na Ferida’, de Silvio Tendler, leva o troféu de melhor documentário pelo Juri Popular do Festival do Rio

Dedo na Ferida

Dedo na Ferida

 

“O novo documentário do cineasta, reconhecido por mais de 80 obras de cunho histórico e social, aborda a influência do capital na política”

Por Úrsula Neves

O cineasta Silvio Tendler voltou para casa com o Troféu Redentor em mãos na noite deste domingo, dia 15 de outubro, após ser premiado do Festival do Rio pelo documentário “Dedo na Ferida”. O longa metragem,  que aborda a dominação do poderio econômico frente aos governos e à população, foi ovacionado na exibição para convidados, no dia 11, e coroado pelo Júri Popular na mostra competitiva da 19º edição do Festival do Rio.

“A importância de ganhar o prêmio pelo Júri Popular é toda. Como disse Glauber (Rocha), mais fortes são os poderes do povo. Vamos juntos nessa. Estamos muito orgulhosos de ter recebido este prêmio, por este júri”, disse Silvio, logo após a cerimônia de premiação.

O novo documentário do cineasta, reconhecido por mais de 80 obras de cunho histórico e social, aborda a influência do capital na política. “É uma crítica à política dominada pelo sistema financeiro. Você não discute mais o dinheiro a serviço da produção”, diz Tendler, lembrando que se trata de um fenômeno mundial. “Acho que é a primeira vez que vamos discutir com profundidade a força do sistema financeiro na economia”.

​Para traçar um paralelo entre essas análises e o cotidiano dos afetados pelos poderio econômico, Silvio usa como fio de ligação a viagem de trabalho de um podólogo que mora em Japeri – cidade que tem o pior Índice de Desenvolvimento Humano (IDH) do Estado do Rio de Janeiro – até Copacabana, onde exerce sua profissão.

“O tempo de deslocamento dele todo dia é o tempo de uma sessão de cinema. É o tempo que ele não vai ao cinema. Enquanto ele vai de Japeri à Copacabana poderia estar assistindo ao filme. “Dedo na Ferida” discute uma sociedade na qual ele é um cidadão à margem, ele não tem uma conta no banco, ele não vai ao cinema, nem ao teatro. Não tem uma vida ativa, é um cara que trabalha para sustentar a família. Acredito que uma das reflexões para quem assiste ao documentário é as pessoas perceberem que está na hora delas terem uma vida interessante também”, acredita Silvio Tendler.

Entre os depoimentos da obra estão os de Yanis Varoufakis, ex-ministro das Finanças da Grécia; Celso Amorim, ex-ministro das Relações Exteriores do Brasil; Paulo Nogueira Batista Jr, vice-presidente dos banco dos Brics; o cineasta Costa-Gavras; os intelectuais Boaventura de Sousa Santos (Universidade de Coimbra, Portugal), David Harvey (University of New York, Estados Unidos) e Maria José Fariñas Dulce (Universidade Carlos III, Espanha); os economistas Ladislau Dawbor (PUC-São Paulo), Guilherme Mello (Unicamp) e Laura Carvalho (USP), entre outros pensadores que interferem no mundo contemporâneo.

Sinopse
“Dedo na Ferida” trata do fim do estado de bem‐estar social e da interrupção dos sonhos de uma vida melhor para todos em um cenário onde a lógica homicida do capital financeiro inviabiliza qualquer alternativa de justiça social. Milhões de pessoas peregrinam em busca de melhores condições de vida enquanto o capital só aspira a concentração da riqueza em poucas mãos. Neste cenário de tensões sociais, intelectuais lutam para transformar o mundo levantando temas como os fim dos direitos sociais, o desemprego, o mercado e o ressurgimento de movimentos extremistas.

Assista ao teaser de “Dedo na Ferida”: 


***

Úrsula Neves

Úrsula Neves

Jornalista carioca, 40 anos, mãe do Heitor de 4 anos. Gerente de Conteúdo do Digitais do Marketing. Coordenadora de Projetos de Conteúdo da Web-Estratégica. Responsável pela Coluna Mãe 2.0 Beta do site Feminino e Além. Adora ler, assistir séries pelo Netflix, ir ao cinema e teatro, navegar pela internet e viajar acordada ou dormindo.

Deixe uma resposta