Entrevista | Jenni Mosello: de X Factor a "Vou Gritar”
Entrevistas Música Notícias

Entrevista | Jenni Mosello: de X Factor a “Vou Gritar”

  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Jenni Mosello - Crédito Vitor Augusto - Vou Gritar

Jenni Mosello – Crédito Vitor Augusto

Curitibana, Jenni é uma das cantoras mais talentosas de sua geração; novo single foi lançado e promete agradar em cheio aos fãs

Por Luis Fernando Pereira

Antes de começar a falar de Jenni Mosello, e de nossa entrevista, temos um fato curioso, digno de lembrança, que aconteceu em nossa redação. Estávamos na primeira semana de novembro buscando fazer uma nova ‘leva’ de entrevistas com artistas que consideramos os mais relevantes da nova geração da música brasileira. Para quem não lembra, na primeira ‘leva’ conversamos com nomes como Ana Cañas, Luiza Possi, Verônica Ferriani, Anabel Bian, Fernanda Takai, dentre muitos outros.

Ainda não tínhamos começado a lista quando recebemos a notícia de que Jenni Mosello, aquela candidata do X Factor que chamou a atenção de todos por ser tão talentosa e original, estava lançando o seu novo single, “Vou Gritar”. No mesmo instante veio a lembrança de que tínhamos falado sobre ela na época do programa da Band. Quando fomos para o texto em questão, veio o fato curioso: era uma matéria de 15 de novembro de 2016, exatamente 1 ano antes da leitura da notícia do single de Jenni.

Não tínhamos mais dúvida de que queríamos muito conversar com ela, afinal seria um ótimo presente de aniversário voltar a falar de Jenni em um momento tão importante de sua vida.

Jenni Mosello

E a conversa foi bem interessante, relevante e simbólica, pois engloba justamente esta época, desde o momento em que ela foi lançada para o país no X Factor, até a fase posterior, onde Jenni acabou vivenciando de forma mais intensa todas as consequências do fato de estar na ‘crista da onda’. Sim, a bela curitibana foi alçada como representante de uma geração de cantoras muito peculiar, tanto pelo talento quanto pela originalidade.

E mais, estamos presenciando uma geração de cantoras que levanta a bandeira do empoderamento feminino de uma forma brilhante, e Jenni, ao querer seguir somente seus instintos e vontades, se coloca como mais uma artista a criar voz relevante sobre o tema.

Vocês verão estas questões serem colocadas na entrevista, e serem respondidas de modo bem direto por ela. É uma ótima conversa que fala de passado, presente e futuro.

E o seu novo single pode ser ouvido aqui

Se divirtam.

Jenni Mosello - Crédito Vitor Augusto - Cantora Curitiba

Jenni Mosello – Crédito Vitor Augusto

Vou Gritar

Cabine Cultural – Jenni, o novo single acaba revelando que você vivenciou aquele momento que muitos artistas vivenciam, onde as pessoas querem moldar, dizer o que cantar, o que vestir, o que falar… E você resolveu dar um basta nisso. É por ai?

Jenni Mosello – Não só como artista, mas também como mulher, jovem, estrangeira, e em todos os papeis que vivo hoje ouvi sempre dos outros como devia me portar como devia ser como devia parecer, e acho que infelizmente hoje isso faz parte da sociedade como um todo. A imposição de padrões que vão desde beleza até crenças é que tem me assustado, não existe espaço para a diferença consequentemente não existe liberdade de expressão! “Você pode ser artista desde que você se encaixe na minha concepção de arte”, pra mim ser artista vai muito além de se encaixar no mercado, ser artista é um grito bem na cara dos padrões que faz refletir sobre o que vivemos e porque aceitamos eles tão facilmente! Madonna não se encaixava nos padrões quando surgiu, nem Michael Jackson, nem Novos Baianos nem ninguém que marcou a historia da arte! A música tem o papel de transformar e fazer pensar, e não existe mudança com submissão. Por isso eu grito.

X Factor Brasil

CC – Você foi apresentada ao grande público no X Factor Brasil, e cantou desde jazz, blues, à Valesca Popozuda. Em termos de maturidade, influências, processo criativo, e até mesmo de performance, o que mudou da Jenni do reality para a Jenni de “Vou Gritar”?

JM – O X Factor Brasil me deu a oportunidade de experimentar da melhor maneira possível minha arte, e foi através dessa experiência que pude amadurecer a compositora que tem dentro de mim. Estudei bem cada passo que dei, e então resolvi seguir os que faziam meu coração bater mais forte, foi ai que surgiu a vontade incontrolável de compor também em português, de me comunicar mais com o público, de dançar e de gritar!! Rs

CC – Você teve algumas apresentações memoráveis no programa, e talvez a mais memorável tenha sido a cover de ‘Piloto Automático’, do pessoal do Supercombo, escolha sua. Se você tivesse a chance de só escolher canções de artistas que te influenciam, o que teríamos visto de diferente no programa?

JM – De certa forma eu sempre coloquei minhas influencias nas apresentações, é impossível tirar minhas raízes pra cantar então toda vez que eu fazia alguma versão tinha algo de mim e das minhas influências! A lista de deuses da música pra mim é grande, vai desde Ella Fitzgerald e Amy Winehouse até Rihanna e Beyoncé, mas a constante na lista é que cada um desses grandes nomes que admiro canta com verdade e com amor, não tem nada mais lindo no mundo do que sentir a alma de alguém na música!

Capa do single de Jenni - Vou Gritar - Crédito Vitor Augusto Vou Gritar

Capa do single de Jenni – Vou Gritar – Crédito Vitor Augusto

Pressão

CC – Você vem despontando na cena musical brasileira, já foi indicada como nome a ser lembrado, tem muitos fãs famosos, a critica te adora… Você toma esse contexto como algo que te pressiona a sempre buscar essa ‘vibe’ de vanguarda, de originalidade, que você passa para o público, ou não te influencia em nada?

JM – EU AMOOOOOO! Me motiva muito! Saber que tem pessoas aguardando minhas novidades, sempre de olho na minha carreira, me deixa muito feliz. O que me deixa mais encantada sobre isto é saber que minha música está chegando nas pessoas, e que de alguma forma as toca, alguns dias atrás recebi uma mensagem de um fã que dizia ter se recuperado de uma fase muito difícil da sua vida graças a Vou gritar, ele se empoderou, se aceitou e se libertou da pressão de se encaixar, foi lindo! Como não querer trabalhar 24h por dia depois disso?

Futuro

CC – Você pretende lançar mais alguns singles nos próximos meses. A ideia é logo depois lançar um álbum mais tradicional, com 10, 12 músicas? E as apresentações, continuam?

JM – O lançamento das próximas canções vai ser feito de uma forma bastante ousada digamos rs

Vamos lançá-las aos poucos para que cada uma possa ser bem saboreada pelo publico, e logo em seguida vem o álbum lindão com todas as canções e varias surpresinhas!

O legal é que quem comparece aos shows tem a oportunidade de ouvir de antemão algumas das músicas do disco, fazemos quase todas ao vivo desde já pra dar aquele gostinho do que esta vindo por ai!


  •  
  •  
  •  
  •  
  •  

Deixe uma resposta